publicado dia 15/10/2019

Vivescer: a plataforma gratuita para formação e trocas entre educadores

por

O Instituto Península reuniu professores de diversos estados brasileiros e perguntou a eles qual ferramenta digital e gratuita poderia ajudar o trabalho docente. As discussões a partir desse questionamento deram origem à plataforma Vivescer.

Leia + A formação de professores para o contexto da escola brasileira

Ela funciona como uma rede social profissional, com um espaço para a interação entre professores, que podem fazer perguntas, compartilhar relatos e vídeos sobre sua prática, e trocar textos e planos de aula. 

Vivescer é uma palavra inventada pelo escritor brasileiro Guimarães Rosa, a partir de duas palavras: “viver” e “ser”. Para a plataforma, tem o sentido de “viver em constante desenvolvimento”. 

Além da comunidade, a Vivescer também conta com 16 percursos de aprendizagens relativas a quatro áreas: corpo, emoções, mente e propósito. Ela serve tanto para professores, quanto para ajudar coordenadores pedagógicos a formarem sua equipe. Ao final de cada trilha, é possível emitir um certificado chancelado pelo Instituto Singularidades.

Essa plataforma surge no contexto de implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que trouxe uma nova oportunidade para os professores a de promover a educação integral das crianças mas também um novo desafio: “Ainda falta investimento na formação do professor para que ele possa de fato entregar o que se pede dele”, avalia Mariana Breim, diretora de Desenvolvimento Integral do Instituto Península.

A Vivescer também vem em resposta a um Brasil altamente desigual, inserido em um  mundo complexo e em intensas transformações. “Todas essas questões aparecem para os professores, e isso gera ansiedade e tensões, para além de todas os outros problemas que eles já enfrentam, como a desvalorização da profissão e as condições de trabalho precárias. Por isso temos a perspectiva de cuidar do professor”, explica. 

E cuidar significa permitir que os professores descubram seus propósitos de vida, entendam seu próprio corpo como ferramenta de ensino e aprendizagem, saibam cuidar da voz, e que tenham ambientes seguros de escuta e conexão com outros professores e seus alunos. 

Do ponto de vista pedagógico, é oferecer a oportunidade dos educadores também aprenderem da maneira que se deseja que eles ensinem, por exemplo, por meio de projetos e com metodologias inovadoras, e que tenham uma formação inicial e continuada crítica, vinculada ao território.

“Os professores estão adoecendo, e esta é uma ferramenta onde podem existir trocas e a construção de soluções conjuntas para este e tantos outros problemas. Também é uma plataforma que pode ajudar a educação integral a acontecer dentro das escolas e a criar uma rede de apoio para enfrentar os novos desafios da educação, do jeito que os professores nos pediram”, diz.

Acesse a plataforma Vivescer.

Formação continuada: 3 maneiras dos professores aprenderem entre si