publicado dia 19/03/2019

Unifesp abre processo seletivo para cursos de especialização gratuitos

por

A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), em parceria com o programa Universidade Aberta do Brasil (UAB), abre processo seletivo para 7 cursos de especialização.

Leia + Educação para a diversidade como alternativa à cultura de violência

Eles serão ofertados em modalidade de educação a distância, e preveem encontros presenciais nos polos ou sede para atividades e avaliações.

Confira o edital dos cursos de especialização da Unifesp.

Os cursos são voltados especialmente para professores da educação básica pública, mas podem se inscrever todos os interessados que concluíram a graduação.

Também é necessário que os candidatos tenham um computador com acesso à internet. As inscrições são online, pelo site da Unifesp, e vão até 14 de abril.

O aluno que concluir o curso receberá Certificado de Pós-Graduação Lato Sensu, em nível de Especialização, expedido pela Unifesp e credenciado pelo MEC.

Conheça mais sobre os cursos de especialização

  • As Áfricas e suas Diásporas

Estudo da organização das sociedades africanas no período anterior e posterior ao tráfico transatlântico, as características do colonialismo bem como os processos de independência no continente africano, e no contexto da diáspora, as múltiplas formas de resistência negra, através das artes, da literatura e da história.

  • Bullying, Violência, Preconceito e Discriminação na Escola

Tem por objetivo articular a análise de comportamentos violentos, discriminatórios e preconceituosos manifestados na escola com contextos culturais, institucionais e sociais mais amplos, oferecendo subsídios teórico-metodológicos para o desenvolvimento de práticas alternativas, pautadas pelo convívio com a diferença, corresponsabilização e promoção do desenvolvimento humano.

  • Educação em Direitos Humanos

Visa implantar e ofertar um curso de capacitação que contribua com a formação dos profissionais da educação básica no sentido de provocá-los, motivá-los e subsidiá-los para a realização de práticas pedagógicas, criação de materiais didáticos e vivência de uma cultura dos direitos humanos no espaço da escola.

  • Ensino de Filosofia no Ensino Médio

O curso se propõe a formar profissionais que assegurem o direito à aprendizagem a partir de um ambiente escolar que favoreça ao desenvolvimento do conhecimento, da ética e da cidadania, bem como contribuir na qualificação do professor na perspectiva da gestão democrática e da efetivação do direito de aprender com qualidade social. Serão trabalhados os eixos: campo conceitual do ensino de filosofia no Ensino Médio, práticas de Ensino de Filosofia e Pesquisa Filosófica em sala de aula.

  • Informática em Saúde

O objetivo é apresentar os temas mais relevantes da área, incluindo fundamentos da informática em saúde, fundamentos das ciências da saúde, fundamentos das ciências da computação, bases de dados em saúde, sistemas de informação em saúde, prontuário eletrônico do paciente, metodologia científica em informática em saúde, imagens médicas, telemedicina e telessaúde, padrões de normalização, etc.

  • Literaturas de Língua Portuguesa: Identidades, Territórios e Deslocamentos

De forma crítica e responsável, este curso visa formar professores que possam refletir acerca de questões sobre o ensino das literaturas de língua portuguesa não apenas a partir de um contexto local ou nacionalista, mas, sim, a partir do âmbito mais abrangente da comunidade dos países de língua portuguesa. Esse professor precisará responder aos desafios educacionais inseridos no contexto mais abrangente, globalizado, em que o paradigma da hierarquia de culturas passa a ser substituído pelo paradigma da integração comunitária que rompe as barreiras das fronteiras nacionalistas.

  • Saúde Indígena

A proposta de compreender e intervir nos problemas de saúde que afetam as comunidades indígenas é complexa. Trata-se de dialogar continuamente com diferentes culturas, visando entender sua visão de mundo, sistemas de cura e concepções do processo saúde-doença.

Formação continuada: 3 maneiras dos professores aprenderem entre si