Curso “Múltiplos Saberes” da UFPE atua na formação de agentes em Educação Integral

Publicado dia 02/09/2013

Iniciativa: Múltiplos Saberes – Curso de Extensão de Formação Continuada em Educação Integral e Integrada

Pública ou Privada: Pública

Descrição: O Curso de Extensão em Educação Integral e Integrada “Múltiplos Saberes”, desenvolvido gratuitamente pela Faculdade Federal de Pernambuco (UFPE), pretende fomentar a formação e mediação entre saberes acadêmicos e populares, com a proposta de articular três elementos: a escola, a universidade e a comunidade.

O curso nasceu a partir da relação estabelecida entre a UFPE e a comunidade do entorno, por meio do Projeto Conexões de Saber, do Ministério da Educação (MEC), que pretendia articular instituições universitárias a comunidades populares, para a realização de trocas de saberes e experiências.

Dessa aproximação com os educadores populares, abriu-se espaço também para a UFPE interagir com programas como o Escola Aberta e com o Mais Educação, programa indutor de uma política nacional de Educação Integral .

Nesse processo de interação, a UFPE firmou uma parceria com a Secretaria de Educação Básica e com o MEC, na formulação de um curso de extensão em Educação Integral que atendesse os diversos os agentes atuantes nos programas de Educação Integral. Foi desenvolvido assim o Múltiplos Saberes.

O curso de extensão busca construir uma relação de diálogo entre todos os atores que possuem relação com a escola e a comunidade, no intuito de melhorar a qualidade da educação no local onde as escolas se encontram.

Para tanto, aplica-se o método de “pesquisa-ação”, no qual procura realizar uma atividade conjunta de compreensão da realidade da escola e da comunidade onde ocorrem as práticas educativas, incentivando a reflexão sobre experiências de Educação Integral e promovendo a valorização e ressignificação do processo de aprendizagem. A carga horária do curso é dividida entre encontros pedagógicos nas escolas (96h), fóruns de educação na UFPE (24h) e estudos, produções e avaliações (56h).

Participam, de forma gral, educadores comunitários, coordenadores de programas, gestores escolares, oficineiros e monitores de programas, educadores populares, professores universitários, profissionais de produção audiovisual, estudantes de licenciatura, professores formadores, estudantes universitários e profissional de secretariado.

Com importante participação no processo, os alunos das licenciaturas da UFPE vêm da rede pública e atuam como mediadores pedagógicos orientando e acompanhando os cursistas nas atividades de formação nas escolas.

Na primeira edição do curso, participaram ao todo 200 participantes, em 28 escolas dos municípios de Recife, Camaragibe, Jaboatão dos Guararapes, Paulista, São Lourenço da Mata e Abreu e Lima, todos em Pernambuco. A Universidade prepara agora uma reedição do curso pensando reformulações a partir das dificuldades e aprendizagens encontradas na experiência piloto.

Início e duração: 2012, em atividade até os dias atuais. A próxima edição do curso ainda não foi divulgada.
Local: Camaragibe, Jaboatão dos Guararapes, Paulista, São Lourenço da Mata e Abreu e Lima, todos em Pernambuco.
Responsáveis: Universidade Federal de Pernambuco
Envolvidos e parceiros: Fundação Joaquim Nabuco, Comitê Territorial de Educação Integral de Pernambuco, Pró- reitoria de Extensão da Universidade Federal de Pernambuco, Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) e Ministério da Educação (MEC).

Financiamento: O curso é financiado por meio de um termo de convênio entre a Pró reitoria de extensão da UFPE e a Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC).

Principais Resultados: Um dos principais resultados do curso de extensão foi o de fomentar práticas pedagógicas que envolviam a escola, comunidade e universidade em sujeitos que não estavam adaptados a essa realidade. Como resultado efetivo, há experiências de mapeamento e reconhecimento de área, como a que ocorreu na Escola Municipal Cônego Costa Carvalho (Maranguape –PE), no qual pôde ser constatado a falta de assistência pública e o alto índice de violência, sendo que 90% dos alunos da escola eram alunos do bairro.

Ocorreram também encontros e vivências nas comunidades, aproximando as populações dos projetos escolares. Aconteceram diversos eventos artísticos, de grafite, de teatro, rodas de contação de história em espaços públicos.

Materiais e Publicações:

Fórum realizado pelo Curso de Extensão Múltiplos Saberes:

Apresentação da profª. Ana Emília de Castro na “Série de Diálogos – O Futuro se Aprende: Educação Integral”, do Instituto Inspirare/Porvir e do Instituto Natura, na ocasião do lançamento do Centro de Referências em Educação Integral.

Contato:

E-mail: Ana Emília Castro- aemilica@yahoo.com.br (Coordenação do curso)

Site: http://cursomultiplossaberes.wordpress.com/