publicado dia 28/11/2018

Jaqueline Moll: educação integral, uma nova forma de viver a vida

por

Professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Jaqueline Moll foi diretora de Currículos e Educação Integral da Secretaria de Educação Básica no MEC de 2007 a 2013. Neste período, foi responsável pela criação e implementação do maior e mais importante programa de educação integral do País: o Mais Educação.

Especial Educadores, do Centro de Referências em Educação Integral, traz 10 especialistas fundamentais para compreender a educação integral e a importância da escola pública no Brasil.

Criado em 2007, o programa tinha como foco a ampliação da jornada escolar e a reorganização curricular, visando um processo pedagógico que conectasse áreas do saber à cidadania, ao meio ambiente, direitos humanos, cultura, artes, saúde e educação econômica.

Nesta perspectiva, o Mais Educação aumentava a oferta educativa nas escolas públicas por meio de atividades optativas que foram agrupadas em macrocampos, por exemplo, cultura e artes e educação econômica.

Em 2016, no entanto, sob o governo de Michel Temer (MDB), o programa foi substituído pelo Novo Mais Educação com foco no reforço escolar de Língua Portuguesa e Matemática no Ensino Fundamental.

Concepção de educação integral

A concepção de educação integral de Jaqueline Moll está pautada na integração das escolas aos territórios. Para ela, a educação deve ser pensada na perspectiva das comunidades e ampliar as interações dos estudantes, bem como suas oportunidades educativas.

Para tanto, as escolas devem ser co-autoras das políticas educacionais, trazendo o repertório, as características e as necessidades dos sujeitos e de seus territórios para o centro do projeto pedagógico.

Jaqueline é também defensora de que a educação integral não é somente uma tecnologia social, mas uma nova forma de viver a vida. “Estamos falando de uma mudança de paradigma, de uma nova forma de pensar nossas relações sociais, pressupondo horizontalidade nos processos educativos, valorização dos saberes comunitários no currículo e uma efetiva ação intersetorial para garantir os direitos sociais dos indivíduos”, disse em entrevista ao Centro de Referências em Educação Integral.

Seu entendimento de desenvolvimento integral está inserido ainda na perspectiva das Cidades Educadoras, isto é, em que equipamentos da saúde, da cultura, do meio ambiente, entre outros, integram uma rede de cooperação e fortalecimento para a formação dos sujeitos em todas suas dimensões e para a participação na vida pública.

A pesquisadora é autora de inúmeros livros sobre Educação Integral, incluindo o Caminhos da Educação Integral no Brasil, uma das publicações de referência no tema.

jaqueline moll

Ana Mae Barbosa e a educação por meio da arte