Reggio Emilia: escolas feitas por professores, alunos e familiares

A criança é feita de cem. /A criança tem cem mãos/ cem pensamentos/ cem modos de pensar/ de jogar e de falar./ Cem sempre cem/ modos de escutar/as maravilhas de amar.
Cem alegrias/ para cantar e compreender./Cem mundos/ para descobrir./ Cem mundos/
para inventar./ Cem mundos/ para sonhar./ A criança tem/ cem linguagens/ (e depois cem cem cem)/ mas roubaram-lhe noventa e nove./ A escola e a cultura/ lhe separam a cabeça do corpo. (Trecho de As Cem Linguagens da Criança, de Loris Malaguzzi).

Iniciativa: Reggio Emilia

Pública ou privada: Pública

Descrição: O trecho do poema do pedagogo e educador Loris Malaguzzi, que reconhece as habilidades das crianças, resume a abordagem pedagógica presente na educação infantil de Reggio Emilia, cidade localizada ao norte da Itália, com cerca de 170 mil habitantes. Essa experiência educadora foi reconhecida como a melhor do mundo em 1991, mas a história teve início bem antes.

Leia também no Portal Aprendiz: Uma cidade educadora de primeira infância

Com o término da Segunda Guerra Mundial, e a cidade em ruínas, um grupo de cidadãos sentiu a necessidade de reconstruir o tecido social, cultural e político da comunidade e materializou a vontade por meio de uma escola para crianças pequenas – a escola 25 Aprille (25 de abril, em português), em Villa Cella. Construída a partir de um esforço comunitário, do qual o próprio Malaguzzi fez parte, contou com verba obtida da venda de um tanque de guerra abandonado, alguns caminhões e cavalos deixados pelos alemães em retirada.

Em Israel, a Escola Democrática de Hadera vê o respeito à liberdade como elemento pedagógico estruturante

Impulsionado pelas teorias psicopedagógicas inovadoras da Europa nos anos 50 e 60, como Jean Piaget, Lev Vygotsky e John Dewey; e também de pedagogos italianos, como Maria Montessori, irmãs Agazzi, Bruno Ciari, o jovem Malaguzzi estava certo de que o processo pedagógico deveria ter como centro o desenvolvimento intelectual, emocional, social e moral das crianças.

O modelo pedagógico deu tão certo que acabou sendo municipalizado e hoje engloba 40% das escolas da cidade. A rede Reggio Children é composta de 13 creches e 21 pré-escolas.

As cem linguagens da criança

Créditos: Centro Malaguzzi / divulgação

Créditos: Centro Malaguzzi / divulgação

Partindo do pressuposto de que a criança nasce com as suas “cem linguagens”, a pedagogia da Reggio Emilia assume que os adultos têm como tarefa prioritária, a escuta e o reconhecimento das múltiplas potencialidades de cada criança, observada e atendida em sua individualidade.

Para tanto, as escolas criam espécie de “laboratórios do fazer”, que combinam as tradicionais linguagens gráficas, pictóricas e de manipulação (modelos e maquetes), mas também as do corpo, ligadas ao movimento, as da comunicação verbal e não-verbal, as linguagens icônicas, o pensamento lógico, científico, natural, discussões éticas, e manejo de ferramentas multimídia, sempre objetivando que a criança aprende “com todo corpo”, de forma fluída e permanentemente integrada.

Leia também: Em Porto Alegre projeto de educação ambiental reconhece saberes comunitários

Essa perspectiva faz com que as escolas não trabalhem apenas com as linguagens codificadas e reconhecidas, mas reconheçam as experiências reais obtidas por meio da pesquisa e de descobertas sensoriais dos próprios estudantes.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O trabalho é conduzido de maneira democrática, sendo a equipe pedagógica, alunos e familiares atores importantes para sua consolidação. Os professores atuam em parceria com o atelierista, profissional que apóia a consolidação de pontes entre as diversas descobertas da criança, empoderada pela ideia de experimentar, de descobrir o mundo e os outros a partir do manejo das diferentes linguagens às quais é apresentada.

A mesma condução é feita pelos educadores que atuam no sentido de expandir o método de conhecimento próprio da criança, incluindo as linguagens artísticas e expressivas na prática cotidiana. A equipe pedagógica parte do pressuposto de que a mente do ser humano e, portanto da criança, é multidisciplinar e observá-la em sua forma de aprender é uma forma de incentivar a apropriação de conhecimento.

Leia também:  Os desenhos são formas de conhecer as crianças 

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Tal proximidade também é mantida com os familiares. Além de serem bem-vindos entre as dependências escolares, na entrada e saída dos alunos,  eles também participam de outras ações e iniciativas, como reuniões com professores e pedagogos, do conselho escolar, da consolidação das políticas escolares, e elaboração do percurso pedagógico, trilhado por eles mesmos, pela equipe pedagógica e pelas crianças.

Para realizar o projeto que recebe as características de cada comunidade, a formação inicial e continuada dos educadores se tornaram condições essenciais e indispensáveis??. Com o apoio da Reggio Children, as escolas concebem um processo de seleção e treinamento, que tem continuidade na própria unidade, em trabalho gerido por um coordenador. Assim como com as crianças, esse coordenador adota uma metodologia formativa que visa estimular e alcançar os “maiores talentos” de cada professor, assim como apoiar as questões apresentadas pelas crianças e o diálogo com os pais.

Na mesma perspectiva, a conduta pautada na educação inclusiva e coesão social faz com que as escolas mantenham uma capacidade de integração com os imigrantes. As unidades da rede apoiam essas famílias no acesso à cultura e tradição local, a partir da história do território, e das famílias dos outros estudantes. A postura evidencia outro valor comum a essa experiência educativa: o acolhimento irrestrito das diferenças.

A metodologia de Reggio Emilia evidencia que a diferença da subjetividade reforça o valor de cada indivíduo e por isso zela por um modelo educativo que dê conta de todas as particularidades dos estudantes e das suas famílias.

Espaços relacionais

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em diálogo com a proposta, as escolas da rede são construídas de modo a favorecer o diálogo e o conhecimento compartilhado das crianças. Para tanto, os ambientes – que permitem que a escola acesse o exterior e vice e versa – estimulam a construção de diversas perspectivas e pontos de vista, consentindo às crianças uma pluralidade de experiências sensoriais. A estética e arquitetura das escolas são pensadas como elementos de qualidade do conhecimento, a partir de uma estrutura que permite a conexão das crianças entre si, com a equipe pedagógica e com a área externa.

Leia também: Ojo de Agua: ambiente educativo prioriza autonomia na aprendizagem

Como exemplo, a cozinha, que é um espaço geralmente negado às crianças, é aberta e inteiramente conectada com a proposta pedagógica. Para a equipe gestora, a proximidade dos alunos ali reforça a importância da relação com a família, já que é no ambiente que se constroem importantes laços, como o “comer junto”, e a vida familiar cotidiana. A cozinheira também atua como educadora e permite aos alunos que participem do preparo dos alimentos – na tarefa, eles não só conhecem os alimentos, como são convidados a experiências sensoriais e de degustação, ao descascar, cortar e provar os diferentes ingredientes.

No caso das creches, dá-se ainda preferência por espaços com seções modulares flexíveis, criando a sensação de acolhimento. Outro elemento bastante presente é o espelho, não só nas paredes, mas também no chão, por se apresentar como algo intrigante para a faixa etária, já que a criança enxerga a si própria, aos amigos, e também as particularidades do ambiente, estimulando a visão por diferentes perspectivas.

Ainda na proposta de valorizar a experiência dos alunos, as salas que acolhem os projetos das crianças não são arrumadas para o dia seguinte. A ideia é que as crianças possam revisitar suas criações e mesmo dar continuidade às suas pesquisas, sendo este um fio condutor da aprendizagem.

Por dentro de Reggio Emilia

Para exemplificar o modelo pedagógico, a equipe da Univesp TV viajou até Reggio Emilia e conheceu duas unidades da rede: o Centro Internacional Loris Malaguzzi e a Creche Gianni Rodari. Os detalhes da rotina de professores, alunos e pais você pode conferir na reportagem a seguir:

Início e duração: de 1963 até os dias atuais.
Local: Reggio Emilia, cidade localizada ao norte da Itália.
Responsáveis: Prefeitura de Reggio Emilia.
Envolvidos e parceiros: Fundação Reggio Children e Centro Internacional Loris Malaguzzi.

Principais resultados

O trabalho coletivo é uma das bases da experiência de Reggio Emilia. A metodologia valoriza cada pessoa em sua experiência. Isso mostra que independente do papel que cumpre, ou função que desempenha, cada pessoa é importante na condução do ensino aprendizagem e, portanto, protagonista legítimo da experiência adquirida. Outra questão é a naturalidade com que é vista a interdisciplinaridade em meio à metodologia, o que evidencia o trabalho em prol do desenvolvimento de várias habilidades e competências.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A prática de inserir as crianças cotidianamente em situações de pesquisa e debate favorece o questionamento sobre si próprias e sobre os outros, o que as torna mais participativas e, futuramente, cidadãos mais críticos e cientes da importância de seu papel em uma sociedade mais justa e igualitária. Os alunos são convidados a compor seu ponto de vista em conjunto com os demais, fortalecendo o processo de construção não apenas de suas identidades individuais, mas do coletivo com suas múltiplas particularidades.

Em todo o processo de ensino e aprendizagem, as crianças têm suas habilidades reconhecidas e seu desenvolvimento conduzido a partir de suas próprias relações com os demais e com o mundo. Para tanto, as equipes gestoras garantem que as escolas sejam capazes de prover relações significativas e importantes para o desenvolvimento integral dos alunos.

A troca de experiências entre os alunos que, a cada término de atividades são convidados a participar de uma assembleia, também reforça que independente da experiência adquirida, o conhecimento é um patrimônio de todos.

Contato

Site: Reggio Children

Telefone: (39) 0522 513752

E-mail: info@reggiochildren.it

Experiência construída com o apoio do Portal Aprendiz e Porvir.

Deixe um comentário!

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

57 COMENTÁRIOS

  1. As crianças têm talentos que precisam ser explorados.
    As escolas de Reggio Emilia estão de parabéns por essa trasformação no ensino,que benificiará a população infantil para o futuro.
    Todos os dias recebemos uma bagagem de ensinamentos que devem ser bem direcionado
    O mundo agradece

  2. Zeneide Bezerra de lima Oliveira disse:

    Otimo exemplo de relação com as crianças no seu processo de aprendizagem e formação de carater….

  3. Vasti Ferrari Marques disse:

    Trabalho na Rede Municipal de Ensino de Jundiaí e, entre 2008 e 2012 convivi com a proposta de Reggio por acreditarmos nas inúmeras oportunidades que a mesma oferece trazendo muita riqueza ao cotidiano escolar. Na época, como Diretora Geral de Ensino Fundamental, instrumentalizamos os professores da rede para que, em contato com a proposta, fossem estimulados a pensar sobre as vivências infantis na escola transpondo para a realidade brasileira boas práticas. Atualmente, como diretora de uma escola de educação infantil e fundamental em período integral, tenho a oportunidade de oferecer aos meus docentes os estudos que direcionam a prática fazendo as transposições para nossa realidade. A proposta pedagógica é maravilhosa e de uma riqueza profunda.

    • Cristiane Pinheiro disse:

      Olá Vasti, tudo bem?

      Estou iniciando na coordenação de uma escola onde a proprietária quer implantar o projeto Reggio Emilia. É uma escola de Ed. Infantil, que esta iniciando. A arquitetura, espaço físico é todo propício à implantação do projeto, porém tenho que coordenar todo o projeto que pra mim é uma novidade. Como posso iniciar? Você teria algum material para me ajudar? Voce poderia apresentar a proposta pedagógica para eu estudar?
      Desde já agradeço pela ajuda.
      Att: Cris Pinheiro

  4. Ângelo Reis disse:

    Conheci as escolas de Reggio Emilia e a Reggio Children em fevereiro de 2013. Fiquei muito impressionado. A experiência me inquietou, fez entender que a visão reducionista sobre a criança, a família e a sociedade, que predomina no Brasil, precisa amadurecer em contato com outras abordagens inspiradoras. Sei que no Brasil existem educadores maravilhosos e propostas transformadoras, pois visitei algumas. Vale a pena acreditar, sonhar e agir!

  5. carmelinda simão visone disse:

    Dia 10 de Janeiro completei 79 anos ..consegui estudar até a quinta seriee durante esta vida só fiz trabalhar com crianças…me sinto realizada.Minha filha esta em Portugal a passeio e de alguma forma o trabalho realizado por vocês chegou ao seu conhecimento,
    Minha filha deve estar explodindo de satisfação tanto como eu por ter o prazer de saber que pessoa tão abnegadas formaram oescola Reggio Emilia,Deus os abençoe e proteja sempre.Um afetuoso abraço ,Carmelinda.

  6. Parabéns pela iniciativa e que sirvam de exemplo para outras comunidades do mundo todo.

  7. linda guaracy disse:

    Sou brasileira, professora da rede municipal de ensino de Salvador/BA.
    Estou cursando mestrado em Educação na Argentina,toda minha vida na área de educação sempre contextualizei todos conteúdos com o lúdico, pois acredito que à aprendizagem é mais prazerosa,e significativa quando o lúdico é utilizado como um recurso facilitador para desenvolver as habilidades e competências necessárias do individuo.
    Gostaria imensamente de conhecer essa metodologia do educador Loris Malaguzzi, para me ajudar na minha pesquisa do mestrado que é sobre esse tema.Como poderei conhecer essa cidade Reggio Emilia,Onde poderei me hospedar,qual a pessoa de contato?
    Atenciosamente,
    Linda Guaracy

    • Julia Dietrich disse:

      Linda,
      existem muitos pesquisadores brasileiros que trabalharam com a experiência da Reggio Emilia. Sugerimos que você procure pelo tema, utilizando como palavras-chave o nome da cidade, infância, educação, etc, na Plataforma Lattes, do Cnpq (http://lattes.cnpq.br/). Lá, certamente, você encontrará pessoas que poderão lhe apoiar nessa discussão.
      Você também pode acessar mais informações neste site: http://www.reggiochildren.it/
      Boa sorte com a pesquisa e não se esqueça de contar para nós o resultado!
      Abraços,
      da equipe do Centro de Referências em Educação Integral

  8. Eli Meirelles de Souza disse:

    Sou Coordenadora Pedagógica e como sonhar não é proibido, sonho com o dia em que os nossos governantes acordem e incluam nas DCN juntamente com o MEC um sistema como o de Régio Emília.
    Felicidade aos professores de lá.

  9. Suzana de Oliveira S. Veloso disse:

    eu sempre acreditei e defendo que a criança é CEM, parabens pela metodologia adotada, Eu acredito também na educação do meu País e que também chegaremos à essa excelência .Espero que a experiência da Reggio Emilia chegue à todos os pontos educacionais do Brasil ,

  10. Meire das Neves de Almeida disse:

    Boa noite!
    Meu nome é Meire Almeida, sou educadora da Educação Infantil trabalho em uma das Prefeituras do Estado do Rio de Janeiro. Entre muitos desafios, venho buscando possibilidades para proporcionar as crianças com qual compartilho meu cotidiano uma história diferente daquelas que vem se construindo. Esse é só um desabafo e uma enorme vontade de poder vivenciar a experiência que vai ao encontro das minhas concepções.
    Quero parabenizá-los pelo trabalho realizado.

  11. Haroldo Figueiredo disse:

    Em Recife-PE, o Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Professor Paulo Rosas desenvolve um trabalho pedagógico, inspirado na proposta de Reggio Emília. O trabalho é encantador e desafiador!

  12. Renato Gomes semedo disse:

    Gostei da inicitiva vejo a melhor maneira de transformar o mundo no futuro já que tenho esperança que a criança quando nasce e boa.a sociedade e que a corrompe.

  13. Antônia Zélia de Assis Dantas disse:

    Sou professora formadora, formação inicial e continuada, de professores da educação básica da rede estadual e municipal da cidade de Natal/RN. Tenho, portando, diálogo constantes com educadores infantil. A grande polêmica entre eles é sobre a alfabetização nessa etapa da educação. Tenho observado que a ênfase dessas instituições, na realidade de minha convivência, esta na linguagem oral e escrita, ou seja, a grande preocupação é a criança ler e escrever. Aos quatro anos ela precisa reconhecer as vogais e o alfabeto, isso te me inquieta muito, pois reconheço que a formação integral, maior objetivo da educação infantil, ai alem das questões cognitivas. Dai a experiência , ou a proposta da Reggio Emília encanta-me, principalmente por reconhece as múltiplas linguagens da criança.

  14. Seus estudos,ajudou-me a olhar para o público infantil com mais presteza,pois se aprende muito com eles.Sucesso em tudo é o que te desejo,professora Nair,ji Paraná Rondônia.

  15. Sou professora na área de educação infantil,concluo neste momento uma pos graduação em docência na Educação infantil,tive a oportunidade de conhecer um pouco a prática maravilhosa desta Escola.
    Deus seja com toda a equipe.
    Nair R.de Lima Batista.

  16. Vanessa Matia disse:

    Gostei muito do artigo. Me interesso por esta abordagem REggio Emila e gostaria muito de receber indicações de livros e materiais para que eu possa pesquisar. Abraço.

  17. edna pereira da silva disse:

    Gostei do tema é maravilhoso e mostrar que as crianças de hoje um ser maravilhoso do futuro e uma criaturinha que tem a maior facilidade de se interagir fácil no nosso dia dia.

  18. drika disse:

    Olá.. Bom Dia gostaria de saber qual era a metodologia utilizada em Reggio Emilia. Estou fazendo um trabalho sobre Reggio Emilia, e gostaria sobre a metodologia utilizada la.

  19. Aurea lopes disse:

    Nossa amei a reportagem, e tudo que li sobre esta visão de escola, muito importante para mim que estou no segundo ano de pedagogia, descobrindo esse mundo mágico da criança. Adoraria ter escolas como essa em nosso país Brasil.

  20. Oi,boa tarde .
    Em primeiro lugar quero parabenizar todos, pelo excelente trabalhos de vocês me expirou muito nós meus trabalhos fiquei encantada com a metodologia de tudo o que aí é ensinado parabéns a toda equipe.

  21. kimberly disse:

    Adorei ter feito um trabalho sobre Regggio Emilia. As escolas são muito boas e a história muito interesante.

  22. BENEDITA DA SILVA RIBEIRO disse:

    Sou da cidade de Breves no Estado do Pará, sou bolsista na UNOPAR e estou cursando o 4º período de Pedagogia e a nossa disciplina e sobre a organização do espaço escolar, e através do que li sobre as metodologias de Reggio Emilia, puder observar que infelizmente as nossas escolas principalmente a do meu municipio estão longe de chegar ao nível de desenvolvimento de Reggio Emília, mas torço e rezo que um dia as nossas crianças tenham a oportunidade de estudar em instituição que tenha um educação de qualidade.

  23. Luzia Diniz disse:

    Nossa fiquei encantada com a metódologia da Reggio Emília, com as crianças, com o desenvolvimento delas. O mais emportante é que elas estão bem felizes, pois a cada dia elas aprendem mais é mais. Estou de quecho caido, adorei tudo! Estou sem palavras.

  24. cleide martins disse:

    Adorei ótimo trabalho com as crianças; me serviu de inspiração. Parabéns a todos.

  25. cleide martins disse:

    Amei que lindo trabalho Parabéns.

  26. Cleonice Cabral disse:

    Gostei muito da matéria, estou com criança em idade escolar frequentando a pré-escola e vejo que a educação brasileira esta muito atrasada, que bom se todas a crianças tivessem essa oportunidade e desfrutassem da metodologia de Reggio Emillia.

  27. Cristina da Silva Abreu disse:

    Estou fazendo o curso de Magistério para Educação Infantil e achei muito importante tudo que li aqui. A construção do conhecimento das crianças é formulada e trabalhada de uma maneira realmente diferente. Acho que a liberdade para que elas se desenvolvam com construções práticas são muito mais eficazes e ativam muito mais seu interesse pelo conhecimento.

  28. Urbano Coelho dos Santos Neto disse:

    Gostei muito de ter lido o texto sobre a proposta pedagógica de Reggio Emilia. Penso que experiências desse tipo precisam serem mais difundidas entre os educadores das escolas públicas do Brasil, principalmente para os educadores atuantes nas séries iniciais do ensino fundamental. O conhecimento sobre a pedagogia de Reggio Emília com certeza será importante para o meu trabalho como coordenador pedagógico.

  29. Urbano Coelho dos Santos Neto disse:

    Gostei muito de ter lido o texto sobre a proposta pedagógica de Reggio Emilia. Penso que experiências desse tipo precisam ser mais difundidas entre os educadores das escolas públicas do Brasil, principalmente para os educadores atuantes nas séries iniciais do ensino fundamental. O conhecimento sobre a pedagogia de Reggio Emília com certeza será importante para o meu trabalho como coordenador pedagógico.

  30. Karla Patrícia soares disse:

    Estou encantada, emocionada e certa que este é o caminho para uma educação plena onde a criança é valorizada, respeitada e tem todos seus direitos garantidos e suas idéias trabalhadas. Essa é a educação que eu como mãe quero que meu filho receba. Apenas me pergunto tudo bem que quando estamos atuando cada instituição tem suas regras e método, muitas das vezes até nos privando de desenvolver nossos trabalhos, então será que esses gestores não tiveram acesso a essa educação? Ainda que nossa realidade seja outra, poderia aplicar o mínimo. Nota 10.

  31. Silvia Araújo disse:

    Quando foi publicada essa matéria, em que ano?

  32. Karla Patrícia soares disse:

    Estou apaixonada pela metologia desenvolvida pelo estimado e querido LORIS MALAGGUZI e a seriedade e competência que todos os envolvidos conduz esse maravilhoso trabalho.Desejo que todas as crianças do mundo todo tenham acesso a essa maneira de educar ou intermediar o conhecimento.

  33. Adnalva disse:

    Muito interessante o trabalho desenvolvido nessa cidade. Modelo a ser copiado . A valorização da criança como o principal elemento nesse processo é garantia de sucesso

  34. gleiciane caldeira cavalheiro disse:

    tudo muito perfeito gostei de tudo vcs estão de parabéns, gostaria muito de conhecer essa escola um dia ,todos estão de parabéns,um abraço a todos.

  35. Carmen Susana Polli disse:

    Como faço para conhecer a região de Reggio Emilia, sou professora de Educação Infantil aqui no Brasil e estudante de pedagogia. Tenho um sonho e uma meta conhecer esta prática pedagógica exemplar.
    Aguardo.

  36. Edmara Magela Rodrigues Arrivetti disse:

    BOA TARDE.

    OS SEUS IDEAIS,SÃO OS MEUS.

    PARABÉNS.

  37. Andréa Carla Aydar de Melo Generoso disse:

    Identifico-me muito com o sistema de ensino e tenho grande curiosidade e interesse em poder fazer um curso in loco. Sou professora de Educação Infantil na rede pública do município de São Paulo e gostaria de informações que me auxiliem a viabilizar este sonho, qual sejam: custo e datas de cursos com período de realização, dicas de hospedagem, leituras prévias importantes… Já estou aprendendo a língua! Atenciosamente, Andréa.

  38. Raquel Romagna Quarezemin disse:

    Sou professora da educação infantil e a metodologia de trabalho de Reggio Emília, me encanta. O MEC deveria oficializar esta proposta para os centros de educação infantil em nosso país.

  39. catarina de fatima peres disse:

    Sou professora de educação infantil, e estou muito feliz de poder compartilharas experiencias vividas com os alunas .

  40. Sou coordenadora pedagógica de uma colégio brasileiro que faz parte das escolas associadas à Rede Unesco. Por ser esse ano o Ano Internacional do Entendimento Global, gostaríamos muito de conhecer essa escola, mesmo que virtualmente, para que seja possível trocarmos experiências e enriquecer o universo acadêmico e cultural de nossos professores e alunos que, em sua maioria são descendentes de italianos. ser uma escola da rede UNESCO imputa-nos o compromisso de um intercâmbio virtual com outros continentes e países, em prol de um mundo melhor. Ratificamos que ficaríamos imensamente gratos com um retorno positivo de vocês. ( http://www.colegioensino.com.br e Colégio Ensino no Facebook). Atenciosamente, Célia

  41. Silvana da Silva disse:

    Maravilhoso! Pensar em educar a partir das possibilidades individuais e a realização filosófica da pedagogia, pois ler e por em prática nem sempre é uma prática e Reggio Emilia dá essa condição.
    Parabéns a todos as professoras, equipes multidisciplinar e ao governo que politicamente correto aceitou a intervenção da sociedade.

    Obrigada!

  42. gostei muito deste projeto em todas pesquisas feitas

  43. eliana disse:

    Acredito e confio na aprendizagem.

  44. Lucilene Chiarelli Alvares disse:

    Parabéns pela proposta de trabalho muito interessante , onde todos os aspectos da aprendizagem são contemplados .

  45. Marizete Barbosa dos Santos disse:

    Sou uma pedagoga, trabalho em um Centro de Educação Infantil e apaixonada pela abordagem Reggio Emilia, que desde que tomei conhecimento fiquei facinada por tudo, mas ainda não conseguir nem mesmo dar o primeiro passo aqui no CEI, pois trabalho em uma região muito difícil, e ás vezes trabalhamos com pessoas que não pensa no futuro do próximo. Gostaria de obter maiores informações sobre como lidar e fazer com que a comunidade seja mais consciente e participativa.
    Desde já agradeço a atenção.

  46. Beatriz Devai disse:

    Quero aprender mais sobre esse tipo de educação.

  47. No Brasil precisamos avançar quanto à concepções de aprendizagem e interação com a comunidade escolar. O diálogo com a criança nos faz entender elementos primordiais do nosso tecido social, que vai afastando as pessoas do coletivo, induzindo ao individualismo.
    Se quer conseguimos conceber outra forma arquitetônica para a escola… como repensar as relações pedagógicas, extremamente marcadas pelo controle e classificação?
    Ao ler esses relatos, sinto-me mais confiante para o desbravamento de outras possibilidades.

  48. Adriana Gomes disse:

    Parabéns pelo trabalho. Fiquei muito interessada no assunto. Gostaria de dicas para ler mais sobre este assunto.

  49. Cristiane Gussi disse:

    Gostaria de saber se vocês têm unidade em guarulhos

  50. Parabenizo-os pela matéria. Novos saberes devem ser os norteadores da aprendizagem.Futuramente, pretendo conhecer a fantástica escola Reggio Emília.

    Att.
    Soraya R. Souza

  51. Rosa disse:

    Muito legal, estou cursando pedagogia e estudando Reggio Emilia e me encanta ver como podemos mudar, inovar as maneiras de ensinar nossas crianças na fase da educação infantil. Adorei!!