Instituto Esporte & Educação: práticas em diálogo com o desenvolvimento integral

Publicado dia 19/05/2015

O esporte cumpre um importante papel no desenvolvimento integral dos indivíduos, uma vez que potencializa o autoconhecimento, a autoestima, a autoconfiança, o trabalho em grupo e estimula a compreensão de processos e a construção de objetivos. Esses objetivos são facilitados quando a atividade física é pensada para além da perspectiva do alto rendimento e da competitividade e é trabalhado de maneira democrática, levando em conta a singularidade de cada indivíduo, bem como a diversidade de cada prática esportiva.

Créditos: divulgaçãoCréditos: divulgação

Essa agenda tornou-se a grande incidência da atleta Ana Moser, principalmente após a jogadora de vôlei deixar as quadras. Em meados de 1998, ela já vinha propondo reflexões nesse sentido junto a um grupo de especialistas que compartilhavam a perspectiva do esporte educacional, isso em uma época em que a disciplina de Educação Física sequer era obrigatória como componente curricular. Isso foi alterado em 2003, com a Lei 10.793 da Presidência da República.

Instituto Esporte & Educação

A primeira experiência em ofertar o esporte em diálogo com o ensino aprendizagem foi feita em 1999, em caráter experimental, junto ao Colégio Magno, instituição de ensino particular da cidade de São Paulo. O projeto procurou desenvolver uma metodologia de formação esportiva a um grupo de crianças de 7 a 12 anos e se centrou na modalidade do voleibol. Apareciam aí os primeiros desafios: como oferecer o vôlei a todas as crianças? Como readequar o esporte à realidade das crianças? Quais seriam os principais suportes didáticos para sustentar a prática em diálogo com o desenvolvimento deles? Essa experiência deu início ao Instituto Esporte & Educação (IEE), lançado oficialmente em 2001.

A instituição nasceu com o objetivo de desenvolver a cultura esportiva especialmente em comunidades pobres a partir dos valores físicos, morais e éticos do esporte educacional. Sua atuação se dá com base em duas frentes principais de intervenção social: atendimento direto a crianças e adolescentes de 6 a 18 anos e desenvolvimento de profissionais da Educação Física e Esportes.

 

Núcleos Esportivos Socioeducativos (NESEs)

instituto_esporte_educacaoOs núcleos são espaços que nascem a partir da articulação do IEE com instituições locais nos territórios. O objetivo é contribuir com a formação de cidadãos críticos, participativos e transformadores a partir da oferta de atividades esportivas, sociais e educativas.

A tecnologia de intervenção social utilizada nesses espaços também busca integrar a comunidade por meio de atividades regulares e eventos esportivos socioeducativos. Desde o início, o IEE vem contribuindo para a criação desses espaços de maneira direta, caso do bairro paulistano de Heliópolis, onde a parceria se deu com a União de Núcleos, Associações dos Moradores de Heliópolis e Região (UNAS), em um centro comunitário, onde há um trabalho de gestão pedagógica. De forma indireta, a metodologia do IEE já foi replicada nos municípios de Indaiatuba e Vinhedo.

Nos bairros paulistanos do Jardim São Luis e Marechal Tito, o trabalho também pôde ser feito graças graças a uma parceria entre o IEE e o Governo do Estado, que construíram quadras esportivas nos conjuntos habitacionais da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU).

Os núcleos envolvem a atuação de educadores do próprio IEE e também de profissionais locais, educadores e estagiários, para cumprir a programação de aulas duas vezes por semana. Essa dinâmica de atendimento foi desenhando uma nova frente de atuação ao Instituto: a formação de professores na perspectiva do esporte educacional, sem associação direta com habilidades motoras ou capacidade física.

Formação docente

Com o tempo, o trabalho com os professores começou a ser realizado de maneira direta, sem associação com o atendimento prestado nos núcleos. A partir de articulação política com as Prefeituras e Secretarias de Educação foi iniciada uma formação que toma como diretrizes cinco princípios: inclusão, diversidade, construção coletiva, autonomia e a oferta da educação integral.
O trabalho leva em consideração os seguintes eixos: a pedagogia do esporte, a articulação com os gestores para planejamento e implantação de um plano estratégico de esporte para os municípios e, por fim, a formação de tutores locais para o desenvolvimento de programa de jovens líderes que poderão atuar como árbitros, monitores esportivos e empreendedores comunitários.

Esses profissionais são constantemente estimulados a incluir os recursos disponíveis em suas práticas, sempre com uma intencionalidade, buscando dar significado ao esporte para cada pessoa, segundo suas necessidades. O objetivo é conscientizar os educadores da importância das atividades acontecerem de acordo com os objetivos cognitivos e atitudinais que se esperam do indivíduo. Os profissionais são estimulados a fazer o planejamento de suas atividades e uma posterior sistematização, para garantir que as práticas sejam integradas aos projetos políticos pedagógicos das escolas.

Metodologia

O esporte na perspectiva educacional é entendido como uma tecnologia de intervenção social. O IEE entende que esse trabalho é fundamental para desenvolver valores como a solidariedade, respeito ao próximo e às regras, tolerância, sentido coletivo e cooperação.

A metodologia aplicada considera três princípios básicos:

– Ensinar o esporte para todos
Conceber o esporte a partir da inclusão e participação de todos, independentemente dos potenciais e das limitações individuais.

Ensinar bem esporte para todos
Transmitir o conhecimento sobre o esporte de maneira que todos aprendam a jogá-lo com competência técnica e tática e possam, com ele, trabalhar a reflexão, co-gerenciamento e aprendizagem

– Ensinar mais do que esporte para todos
Fazer com que o esporte dialogue com outras dimensões do desenvolvimento do indivíduo e suscite reflexões sobre saúde, cultura, educação, oriente posturas de protagonismo e estimule o profissionalismo.

Outros projetos

Esse pensamento é o que embasa outros projetos mantidos pelo Instituto em parcerias privadas, como a Caravana do Esporte, em associação com a ESPN Brasil e o Unicef; Rede de Parceiros Multiplicadores do Esporte Educacional, em conjunto com a Petrobras, entre outros projetos.

Principais resultados

Desde a sua criação, o Instituto Esporte & Educação já atendeu mais de 2,5 milhões de crianças e adolescentes pelo país. Também já contribuiu com a formação continuada de mais de 30 mil professores.

Este ano, a previsão é que as formações aconteçam em 19 cidades de sete estados (São Paulo, Bahia, Pernambuco, Paraná, Minas Gerais e Pará) e contemplem 800 professores e gestores da rede pública para a implantação e qualificação de programas voltados para a prática da Educação Física e do esporte nas cidades. A ideia é que cada município tenha cinco etapas de capacitação, totalizando 80 horas de formação presencial e 20 horas de acompanhamento à distância. Os participantes recebem material didático e são certificados quanto ao seu aproveitamento nos módulos de formação. Há a expectativa de atingir 24 mil alunos com a ação.

A inserção dos indivíduos no esporte em uma perspectiva educacional contribui para o desenvolvimento com base em uma conduta sociável, participativa, colaborativa facilitando uma abertura aos processos coletivos. Na esfera individual, os envolvidos também se tornam mais seguros, autônomos e protagonistas de seus projetos de vida.

Contatos:

Instituto Esporte & Educação
Fone: (11) 5579-8695
Site: http://www.esporteeducacao.org.br/
Facebook: https://www.facebook.com/esporteeeducacao?fref=ts

Por que integrar o brincar ao processo educativo das crianças?