publicado dia 27/11/2015

Prêmio Itaú-Unicef premia cinco projetos de educação integral em todo país

por

Cinco iniciativas de educação integral venceram o 11º Prêmio Itaú-Unicef. O anúncio foi feito ontem (26/11) à noite, em cerimônia realizada no auditório do Ibirapuera, em São Paulo.

Ao todo, 1.947 projetos de todo o Brasil participaram do processo seletivo que é uma iniciativa da Fundação Itaú Social e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec).

O grande vencedor da noite foi “Eu, Você e a Escola, Educação que transforma”, realizado na cidade de Diamantina, localizada no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais. A iniciativa é da organização Projeto Caminhos Juntos (Procaj) em parceria com a Escola Estadual João César de Oliveira.

O objetivo é buscar a garantia do desenvolvimento integral das crianças e dos jovens no distrito de Inhaí, em Diamantina. A iniciativa leva atividades culturais, esportivas e de formação cidadã, fora do horário escolar, tratando de assuntos como arte, artesanato, sexualidade e drogas.

Estudantes do projeto "Eu, Você e a Escola, Educação que transforma”

Estudantes do projeto “Eu, Você e a Escola, Educação que transforma”

O projeto é desenvolvido pela escola e pelo Procaj desde 2011 e ao menos 59 estudantes do ensino médio, que participaram da iniciativa, ingressaram em faculdades.

Além da experiência de Diamantina, outras quatro foram premiadas nas categorias: micro, pequeno, médio e grande porte.

Repertório cultural

O vencedor na categoria micro porte é da cidade de Campos de Goytacazes (RJ), onde um grupo de amigos fundou a Associação Bem Faz Bem. Em parceria com a Escola Municipal Manoel Coelho, a organização desenvolve um projeto que, por meio de oficinas, visa contribuir com a ampliação do repertório cultural de 150 crianças e jovens entre 6 e 18 anos.

bale_rj

Meninas em oficina de balé do projeto

Todos os dias ocorrem espaços de orientação escolar e oficinas de leitura, com a intenção de ser uma espécie de estudo dirigido que visa identificar dificuldades de aprendizados das crianças e jovens.

O projeto também contempla outras áreas como produção de textos, discussões baseadas em filmes voltados para o público infanto-juvenil, oficinas de musicalização, capoeira, balé, grafite e desenho.

Hip Hop

Entre as iniciativas de pequeno porte se destacou um projeto da cidade de Diadema (SP). É lá que se desenvolve o “Matéria Rima“, fruto de uma parceria entre a Associação Assistencial e Cultural Manos de Paz e a Escola Municipal Sagrado Coração de Jesus.

Atualmente, a Secretaria Municipal de Educação Integral de Diadema financia a presença de 23 educadores e de material didático em 15 escolas da rede envolvidas.

Os conteúdos que são abordados são pensados a partir de um diagnóstico das principais dificuldades que precisam ser superadas pelos estudantes. Após essa avaliação, os educadores desenvolvem os temas a partir da cultura Hip Hop.

Crianças usam o Hip Hop para superar dificuldades de aprendizagem

Crianças usam o Hip Hop para superar dificuldades de aprendizagem

São utilizados o ritmo e a poesia do rap, a arte de compor e dimensionar imagens do grafite, a postura corporal da dança de rua e a musicalização da discotecagem para ajudar no processo de ensino-aprendizagem em outras áreas de ensino.

Fechamento de escolas 

O vencedor da categoria médio porte vem da região Norte, da cidade de Parintins (AM). O “Projeto Curumins da Amazônia II: Protagonizando Vidas com Educação e Arte” surgiu para evitar o fechamento da Escola Municipal Tadashi Inomata.

Uma de suas docentes, diante do fechamento do espaço, propôs usar as instalações da Associação Cultural e Artística, desde que o município construísse um anexo. A proposta foi aceita e, em 2015, as duas dividem o mesmo espaço. Foi nesse cenário que nasceu o projeto, que está oferecendo novos processos de aprendizagem, garantindo a melhoria do desempenho escolar e o desenvolvimento integral dos participantes.

Projeto trabalho com áreas interdisciplinares.

Projeto trabalho com áreas interdisciplinares.

A dificuldade de aprendizagem está sendo superarada por meio de uma metologia interdisciplinar de ensino. Língua Portuguesa, Matemática, Artes (desenho e pintura), Música (violão e flauta), Esportes e Recreação além de uma horta escolar são áreas utilizadas.

Grande Porte 

O vencedor da categoria grande porte foi o projeto “Morro da Cruz para a Vida” desenvolvido pelo Instituto Leonardo Murialdo e a Escola Municipal de Ensino Fundamental Morro da Cruz em Porto Alegre (RS).

O programa nasceu da demanda da comunidade por cultura, esporte e apoio escolar. Por meio de oficinas dividas em faixas etárias e temas, busca-se apoiar crianças e jovens da comunidade.

Projeto nasceu da demanda da comunidade por cultura, esporte e apoio escolar

Projeto nasceu da demanda da comunidade por cultura, esporte e apoio escolar

Os temas trabalhados são letramento (leitura e produção textual) e numeramento, contação de histórias, esporte e recreação, música (instrumentos e canto coral), dança e capoeira, expressão corporal e informática.

Além disso, são desenvolvidas atividades multidisciplinares de meio ambiente, cidadania e direitos humanos. Também são realizadas visitas a espaços culturais e de lazer. Para os adolescentes de 16 a 18 anos, as ações têm como foco sua preparação e inserção no mundo do trabalho.

Abertura da escola à comunidade possibilitou repensar o currículo