6° Prêmio Territórios Tomie Ohtake

publicado dia 09/10/2020

Pílulas do Brincar traz propostas de brincadeiras artísticas e inclusivas

por

Projeto Brincar, iniciativa de Educação Inclusiva entre a Mais Diferenças, Fundação Grupo Volkswagen e Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, lançou uma nova forma de propor atividades para crianças com e sem deficiência. São as “Pílulas do Brincar“, uma série de três vídeos gravados pelo arte-educador Thiago Franco.

Leia + De Frida a Matisse: 6 vídeos sobre arte para crianças

Em cada vídeo, o educador se inspira em um artista para criar uma brincadeira e estabelece um diálogo direto e interativo com o espectador. Todo episódio conta com um material complementar em PDF acessível, que reúne outras referências e informações sobre o artista da vez. O conteúdo possui Libras (Língua Brasileira de Sinais) e legendas produzidas pela Mais Diferenças, além de uma audiodescrição inovadora, feita pelo próprio educador ao longo dos vídeos.

Todos os episódios das Pílulas do Brincar e seus materiais complementares estão disponíveis gratuitamente no site do Mais Diferenças.

No primeiro episódio, “Brincar com esculturas e desenhos”, a inspiração foi o artista e educador Hanoch Piven, nascido em 1963 no Uruguai. Em suas obras, Hanoch propõe novos significados para diferentes objetos do cotidiano, usando seus tamanhos, formas e cores para criar retratos tridimensionais. Dessa forma, as obras podem ser contempladas de forma multissensorial por pessoas com e sem deficiência.

Pensando nisso, Thiago demonstra como adultos e crianças podem juntos criar uma escultura a partir de objetos disponíveis em casa. De forma lúdica e divertida, o arte-educador conduz todo o processo e estimula a imaginação e a descoberta de formas, cores e texturas.

O segundo episódio se chama “Brincando com objetos retangulares” e foi inspirado na obra “Desvio para o Vermelho” do artista Cildo Meireles, nascido em 1948 no Rio de Janeiro. Mas, ao invés de chamar a atenção para objetos da cor vermelha, convida-se o público a buscar diferentes objetos retangulares e criar histórias e desenhos a partir deles. Dessa forma, mais uma vez a proposta acolhe a todos – pessoas com e sem deficiência.

O terceiro e último vídeo tem o título “Brincar com elementos naturais”. Nele, o educador propõe a criação de obras de arte dentro de um recipiente com água, usando elementos naturais como folhas, pedras e galhos. A experiência multisenssorial, que permite a sensação de diferentes temperaturas e texturas, se inspira nas fotos da colheita de lírios d’água no delta do rio Mekong do artista vietinamita Pham Huy Trung.

Os cinco mandamentos do brincar na escola

As plataformas da Cidade Escola Aprendiz utilizam cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para recomendar conteúdo e publicidade.
Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições.