7 formas de promover uma avaliação formativa em sua aula virtual

Publicado dia 02/10/2020

As provas com caneta e papel não existem mais: polegares para cima e para baixo, sinais com as mãos, enquetes online, fóruns de discussão e áreas para bate-papo tornaram-se os novos pilares da avaliação formativa em salas de aula virtuais.

Leia + Avaliação na Educação Integral: publicação propõe novos referenciais para programas e políticas

Essas verificações rápidas ajudam os professores a se certificar de que os alunos estão compreendendo os conceitos-chave – e a identificar falhas em sua compreensão. “Bons professores em todas as disciplinas ajustarão seu ensino com base no que os alunos sabem em cada ponto”, disse Vicki Davis, diretora de tecnologia educacional em Albany, Geórgia, ressaltando quão cruciais as avaliações formativas contínuas são na sala de aula.

Os professores não precisam reinventar completamente suas avaliações formativas tradicionais, no entanto, de acordo com Mike Anderson, um consultor educacional em Durham, New Hampshire. “As avaliações formativas podem parecer mais difíceis agora em salas de aula virtuais – você não pode simplesmente andar pela sala e olhar por cima dos ombros de uma criança – mas não tenho certeza se elas têm que ser mais difíceis.”

Na verdade, muitos dos aplicativos e sites digitais populares, como Nearpod, Flipgrid, Padlet e Seesaw, podem funcionar em conjunto com as avaliações testadas e comprovadas que os professores aprimoraram em suas aulas antes da pandemia. O Nearpod, por exemplo, permite que os professores incorporem questionários curtos, enquetes, pesquisas e jogos em uma aula para que os professores possam verificar o entendimento antes de passar para o próximo conceito.

Mas não exagere, diz Andrew Miller, diretor de ensino e aprendizagem da Singapore American School, enfatizando que os professores devem ter cuidado para não sobrecarregar os alunos com muitas avaliações virtuais e muitas ferramentas novas. Concentre-se em duas ou três ferramentas, no máximo, ele recomenda, e certifique-se de definir sempre um propósito claro e diferenciado para o uso de cada uma.

Também é importante lembrar de soluções não tecnológicas, como as conversas individuais simples, mas inestimáveis, que podem fornecer informações sobre o progresso dos alunos – e seu bem-estar.

“Em nosso ambiente de ensino a distância, corremos o risco de ficar ainda mais isolados. Ao agendar sessões individuais com os alunos, podemos avaliar seu aprendizado e fornecer feedback com uma conexão humana real ”, diz Miller.

Aqui estão algumas maneiras diferentes de os professores usarem avaliações formativas na sala de aula virtual:

1. Verificações rápidas

Os professores podem usar verificações curtas e rápidas virtualmente para se certificar de que os alunos estão no caminho certo – tanto acadêmica quanto emocionalmente.

No início de uma aula ao vivo, faça uma pergunta geral sobre a lição do dia anterior, como “Todos se sentem confortáveis ​​com o que aprendemos sobre [preencher o espaço em branco]?” e peça aos alunos que respondam individualmente colocando um emoji ou polegar para cima e polegar para baixo em sua caixa de bate-papo ou janela de vídeo. Os alunos também podem segurar um post-it ou pedaço de papel na tela com uma resposta. Nem todas precisam ser questões sérias; perguntas engraçadas podem ajudar a envolver os alunos no início da aula.

Outra opção: faça aos alunos uma pergunta mais específica sobre o conteúdo que você abordou recentemente e peça-lhes que avaliem o que entenderam em uma escala de 1 a 5. Eles podem segurar o número apropriado de dedos como sinais durante uma aula online ao vivo. A abordagem popular do semáforo também funciona. Peça aos alunos para mostrar uma cor com base em como se sentem sobre o tópico que você está ensinando: verde – vá para o próximo tópico; amarelo – prossiga devagar, pois ainda estou processando; ou vermelho – pare, eu não entendo.

2. Diários digitais

Nem todos os alunos processam informações na mesma velocidade ou gostam de levantar a mão e ser reconhecidos publicamente durante a aula. Os exercícios de reflexão depois da aula, que dão aos alunos um espaço privado para refletir um pouco mais profundamente, e sinalizam tanto o que eles entenderam quanto o que não entenderam, são fáceis de continuar remotamente.

Os professores podem criar um documento online como um “Diário Digital” para cada aluno usando o Google Docs ou uma plataforma como o Blackboard para medir quão bem os alunos estão retendo informações, recomenda Rebecca Alber, uma professora de educação em Los Angeles, Califórnia. Em seu diário, os alunos podem responder individualmente a solicitações como o que sabem, o que desejam saber e o que aprenderam; ou 3-2-1: três coisas que você descobriu; duas coisas que você achou interessantes; uma coisa que você não entendeu.

Os professores também podem adaptar a atividade de uma página de Jill Fletcher para configurações virtuais. Fletcher, um coordenador de currículo em Kapolei, Havaí, pede aos alunos que escrevam os principais temas, perguntas e ideias sobre um tópico ou lição em uma única página (como um guia de estudo) e incluam arte ou imagens se desejarem. Peça aos alunos que criem suas páginas em uma ferramenta como Canva ou Google Slides, ou eles podem desenhá-los à mão e enviar como uma fotografia.

3. Tweets e apresentações rápidas

Para ajudar os alunos a sintetizar as informações mais importantes, peça que reservem de um a dois minutos durante o tempo de aula ao vivo para resumir tudo o que aprenderam em um documento do Google, em uma caixa de bate-papo ou em um quadro de mensagens virtual como Padlet.

Você também pode pedir a alunos voluntários que compartilhem suas idéias básicas ou um resumo verbal do que aprenderam com a classe em 60 segundos ou menos. Matt Levinson, diretor em Seattle, Washington, também sugere que os alunos resumam a lição em um tweet ou postagem no Instagram, respeitando os limites dos caracteres.

4. Quadrado, triângulo e círculo

Dar aos alunos escolha com avaliações formativas é muito importante, diz Anderson, já que nem todos os alunos mostram seu pensamento da mesma forma.

Anderson recomenda Quadrado, Triângulo, Círculo, uma atividade em que os alunos escolhem uma forma e seu prompt de pergunta associado. Um quadrado significa algo que agora está “quadrado” em seu pensamento. A escolha de um triângulo dá aos alunos a tarefa de extrair três ideias importantes do que aprenderam, enquanto um círculo pede aos alunos que discutam algo “circulando” – ideias que ainda não estão totalmente formadas – em suas mentes.

Para aprendizagem assíncrona, os alunos podem escrever suas respostas de forma independente em um documento online como um exercício de reflexão. Ou, em uma aula síncrona, os professores podem tornar o exercício colaborativo pedindo aos alunos que escolham uma forma e, em seguida, dividindo-os em grupos com base na forma que escolheram. Os alunos podem discutir brevemente suas reflexões com os colegas e compartilhar com a classe para encerrar o aprendizado.

5. Faça da arte a sua avaliação

Enquanto os professores podem questionar se as antigas salas de aula (e decorações populares de parede) como colagens, mapas mentais e esboços podem funcionar virtualmente, os professores com quem falamos dizem que ainda estão encontrando maneiras de os alunos usarem arte, música e drama para compartilhar seu pensamento.

Os alunos podem criar um anúncio para descrever e comercializar um conceito específico, desenhar uma história em quadrinhos narrando um evento histórico ou explicando um princípio científico, escrever um poema ou uma canção ou encenar um capítulo de um livro ou cena de uma peça. Usando um celular, os alunos podem gravar a si mesmos ou fotografar e filmar seus trabalhos com a câmera do celular para compartilhar virtualmente.

6. Avaliações entre pares

Ao aprender fora da sala de aula, é especialmente importante promover o relacionamento entre os alunos. Você pode fazer as duas coisas ao mesmo tempo, inspirando-se no que seus alunos aprenderam e, ao mesmo tempo, incentivando conexões mais profundas com os colegas.

Atribua a cada aluno um amigo virtual para a semana ou agrupe alunos aleatoriamente para fazê-los falar durante a aula – e avaliar o aprendizado uns dos outros.

Em pares, os alunos podem ser colocados em salas individuais no Zoom ou outra plataforma de videoconferência para fazer muitas das mesmas atividades que faziam antes na sala de aula para verificar a compreensão.

Dê a cada aluno uma rubrica geral para avaliar a tarefa de seu colega; peça-lhes que compartilhem o feedback com você também. Ou peça aos alunos que ensinem um conceito uns aos outros enquanto gravam (áudio ou vídeo) e carregue o arquivo para você revisar. Essas atividades também podem ser adaptadas para aprendizagem assíncrona usando ferramentas do Google Classroom.

Para aulas síncronas, organize um painel de apresentações. Atribua três a quatro funções aos alunos para representar diferentes ideias ou temas de uma unidade, como fazer com que os alunos na aula de História se façam passar por líderes de diferentes países durante a Segunda Guerra Mundial. Peça a cada aluno que discuta sua perspectiva na frente de seus colegas e permita que o resto da classe faça perguntas para sondar seu pensamento.

7. Para finalizar a aula

Usar tíquetes de saída, ou respostas dos alunos a perguntas em um pedaço de papel no final da aula, é uma prática de avaliação formativa popular que pode ser facilmente adaptada para as aulas online.

Os professores podem disponibilizar um Google Doc para cada aluno para manter as informações privadas ou estendê-lo para toda a turma, postando perguntas em uma plataforma como o Flipgrid para que os alunos possam ver e comentar as respostas uns dos outros.

Para ter uma visão mais ampla do pensamento dos alunos, use perguntas abertas como estas:

  • O que achei mais interessante hoje foi…
  • Hoje foi difícil porque…
  • O que você entende bem?
  • O que é algo que ainda está instável?
  • O que é algo que eu [professor] não percebo?
  • Que lições serão importantes daqui a três anos?
  • Como isso se relaciona com [algo aprendido antes]?
  • Como você faria as coisas de forma diferente hoje?
  • Hoje foi difícil porque…

*Texto publicado originalmente por Nora Fleming, no site Edutopia. Tradução: Ingrid Matuoka.

Avaliação docente deve ser pensada junto com os processos de formação