Publicado dia 03/07/2014

Currículo na Educação Integral

Há distintas concepções de currículo, associadas a diferentes formas de se conceber a educação. De maneira geral, pode-se afirmar que currículo é a seleção cultural de determinados conhecimentos e práticas de ensino-aprendizagem que, produzidos em contextos históricos determinados, procuram garantir aos educandos o direito à riqueza de conhecimentos e de cultura produzidos socialmente.

Na perspectiva da educação integral, o currículo alça contemplar o desenvolvimento de todas as potencialidades, ou dimensões formativas, dos sujeitos, considerando não apenas os aspectos intelectuais dos estudantes, mas também os afetivos, corporais, simbólicos e éticos.

Currículo como construção cultural

As teorias do currículo empenham-se em responder perguntas sobre o conhecimento a ser ensinado aos estudantes e o tipo de ser humano desejável para um determinado tipo de sociedade. Como apontado pelos pesquisadores Antônio Flávio Moreira e Tomaz Tadeu no livro “Currículo, cultura e sociedade”, embora questões relacionadas ao “como” do currículo continuem importantes, elas só ganham sentido quando relacionadas ao “porquê” das formas de organização do conhecimento escolar.

Saiba mais no especial Currículo na Educação Integral

Nesse sentido, o currículo, como construção cultural, está sempre vinculado a formas específicas de organização da sociedade e da educação, e não pode ser compreendido como um campo neutro, ou algo estático. Para o educador espanhol José Sacristán, é antes o resultado de um equilíbrio de interesses e forças que gravitam sobre o sistema educativo em um determinado momento, configurando-se como o reflexo de um determinado projeto de cultura e de socialização.

Grande parte do currículo muitas vezes não é explicitada em planos e propostas, mas surte forte efeito na escola, na medida em que se traduz em atitudes e valores transmitidos pelas relações sociais e pelas rotinas do cotidiano escolar. É o chamado currículo oculto. Fazem parte do currículo oculto, relações hierárquicas, regras e procedimentos, formas de distribuir os estudantes por grupamentos e turmas, visões transmitidas por livros didáticos, entre outros.currículo na educação integral

Entretanto, seja qual for a concepção de currículo adotada, não há dúvidas de sua importância. É por intermédio do currículo que todos os esforços pedagógicos acontecem na escola.

E, nessa perspectiva, a Educação Integral problematiza o currículo na medida em que recoloca o estudante na centralidade dos processos educativos e ambiciona contemplar suas diferentes dimensões formativas, levando em consideração a ampliação de tempos, espaços e agentes educativos. Ao buscar a integração dos saberes acadêmicos aos saberes locais, oriundos do território onde vivem esses estudantes, põe-se em cheque a fragmentação cartesiana de conteúdos, representada por matérias ou disciplinas, e volta-se para uma dimensão integral do conhecimento a ser produzido.

Dessa forma, vale lembrar que o currículo na Educação Integral não corresponde em nenhuma medida à justaposição do currículo de turno regular ao currículo de turno expandido, mas sim à reorientação estrutural de todo o processo de ensino-aprendizagem, de forma que elementos significativos da vida dos estudantes e de suas comunidades possam ser os articuladores dos diversos campos de conhecimento acionados nas práticas pedagógicas escolares.
Como aponta o educador espanhol Miguel Arroyo, o currículo da educação integral dialoga com a vida:

 

Referências bibliográficas:

Arroyo, Miguel G. – Curriculo- território em disputa, Rio de Janeiro, Editora Vozes, 2011.

Fundação Itau Social- CENPEC. Tendências para Educação Integral. São Paulo, 2011. Disponível para acesso online e download.

Moreira, Antonio Flavio Moreira; Tadeu, Tomaz. Curriculo, cultura e sociedade. São Paulo, Cortez Editora, 2011.

Moreira, Antonio Flavio Barbosa; Candau, Veram Maria – Indagações sobre o currículo – currículo, conhecimento e cultura, Brasilia, Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica, p. 18. Disponível para download.

Pátio Revista Pedagógica, Educação Integral – a relação da escola com a cultura e a sociedade. Porto Alegre, Artmed, 2009, Pg. 21-22. Disponível online.

Sacristán Gimeno J. – O currículo – uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre, Artmed, 2000.