publicado dia 22/11/2018

Fundação Carlos Chagas premia iniciativas de formação de professores

23/11/2018

Em 23 de novembro acontece, em São Paulo, a entrega do Prêmio Professor Rubens Murillo Marques – 8ª edição, realizado pela Fundação Carlos Chagas. A iniciativa tem o intuito de valorizar e compartilhar experiências de formação de professores para a Educação Básica.

Leia + A formação de professores para o contexto da escola brasileira

Foram selecionados 3 de 80 projetos propostos por docentes dos cursos de Licenciatura que desenvolveram projetos de formação de professores. Por meio de abordagens diferentes, os projetos escolhidos unem originalidade, conhecimento acadêmico e práticas de ensino em prol da melhora da formação de professores.

Cada um dos premiados receberá R$ 20 mil, um diploma, um troféu réplica da escultura da artista plástica Vera Lucia Richter, e a publicação de seu trabalho na próxima série Textos FCC, publicação da Fundação Carlos Chagas.

Conheça os projetos de formação de professores selecionados

As professoras do Instituto de Matemática e Estatística (IME) da USP, Barbara Corominas Valério e Daniela Mariz Silva Vieira desenvolveram o projeto “Estágio: uma articulação entre formação inicial e continuada de professores”, por meio do qual conseguiram promover a interação da formação inicial do licenciando com a formação continuada do professor da escola básica, de modo a contribuir para o fortalecimento do desenvolvimento profissional de ambas as partes e para a efetiva melhoria no ensino básico.

Motivada a debater a invisibilidade das mulheres no campo musical, a professora Thaís Lobosque Aquino, da Universidade Federal de Goiás, estudou com os licenciandos a vida e a obra de Rita Lee, Nannerl Mozart e Chiquinha Gonzaga, no projeto “Música, estágio e pesquisa: ações formativas com o tema Mulheres na Música”. A experiência possibilitou a compreensão e a vivência do estágio enquanto momento de pesquisa e de desenvolvimento de aspectos indispensáveis à construção da identidade e dos saberes próprios ao exercício profissional da docência em música.

Com o projeto “Ao som da percussão do Cajón”, a professora Daniela Franco Carvalho, da Universidade Federal de Uberlândia, provocou discussões acerca dos estereótipos e representações que circulam na contemporaneidade acerca do outro e buscou, assim diminuir barreiras entre os sujeitos que convivem na sala de aula. A proposta, materializada no projeto “Cajón: estratégia interventiva para compartilhamento de emoções em sala de aula”, traz evidências do favorecimento da aprendizagem do professor em um sentido que vai além dos conteúdos científicos, mas sem prescindir deles.

O quê

8ª edição do Prêmio Prof. Dr. Rubens Murillo Marques

Quando

23/11/2018 às 09:30

Onde

Auditório Prof. Dr. Ângelo Barone Netto - São Paulo/SP

Em Manaus, programa de tutoria qualifica formação de professores