publicado dia 14/09/2018

Plataforma Cidades Educadoras lança especial “30 anos da Constituição Cidadã”

por

Após vinte anos de ditadura, o Brasil tateava sua redemocratização. Movimentos sociais e organizações da sociedade civil pressionavam a nova ordem política para que fossem feitas garantias pétreas de que o Brasil se comprometeria com o desenvolvimento social e não mais repetiria a violência e o horror do Estado nos chamados anos de chumbo.

Leia + ESPECIAL ELEIÇÕES 2018: CAMINHOS PARA A ESCOLA BRASILEIRA

Foi neste cenário que germinou a tecedura do que seria a Constituição de 1988, que completa três décadas de aprovação em setembro deste ano. Garantia de um projeto de país democrático, no qual o Estado tem o dever de assegurar os direitos e a população de cobrá-los caso não cumpridos, a Constituição Cidadã – como ficou conhecida – é uma conquista da história recente do País, apesar de tantas vezes ameaçada.

Em sua defesa, a plataforma Cidades Educadoras inaugurou nesta quinta-feira (13) o especial 30 anos da Constituição Cidadã, composto por uma série de matérias que analisarão como a Constituição se relaciona com a manutenção da democracia brasileira, especialmente, nas áreas de educação, território e participação social.

A primeira reportagem da série, intitulada Constituição de 88: a participação social como base e defesa da democracia, já está no ar e se debruça sobre como o documento magno é singular pela massiva participação social que pressupôs sua construção, além da extensa redação que faz sobre direitos humanos.

Os desafios da EJA para incluir quem a escola abandonou