publicado dia 22/05/2014

Tutoria pode ser alternativa para melhorar gestão escolar

por

Refletir sobre o trabalho realizado em escolas é fundamental para a obtenção de bons resultados. Assim, a presença de um olhar externo ao ambiente escolar pode ser uma alternativa a esse exercício, buscando diagnosticar os desafios que ainda precisam ser percorridos.

É nesse sentido que nasce a metodologia de Tutoria. Destinada, principalmente, a diretores e coordenadores de áreas educacionais, a função pode ser vista como uma opção para a formação continuada de educadores, já que a proposta é ajudar os profissionais a entenderem melhor e reinventar formas de conduzir uma escola.

O que é tutoria?

É a metodologia de formação em serviço, realizada no cotidiano da
escola por um profissional mais experiente, que reconhece, valoriza e parte dos conhecimentos e da vivência do tutorado para desencadear o processo de aprendizagem, buscando agregar novos conhecimentos, de caráter prático e modelar. (Fonte: Fundação Itaú Social).

Há menos de dois anos, a supervisora de ensino Edna Gelere tornou-se também uma tutora na região da zona leste de São Paulo, onde já atuava por meio da Diretoria Regional de Ensino. Uma vez por quinzena, Edna se reúne com uma diretora escolar, que optou de forma espontânea pela tutoria.A partir da construção de confiança entre tutora e diretora, o processo busca problematizar os resultados obtidos pela escola, cruzando-os ao contexto no qual a unidade escolar está incluída.

A ideia é buscar possíveis caminhos para solucionar os problemas e melhorar as ações já desenvolvidas. Essa estratégia potencializa a ação supervisora. Também usamos a tática da escuta ativa, que não é tarefa fácil. Nós, supervisores, temos ainda a prática de prescrever, de orientar, levar o pacote pronto”, identifica, ressaltando que esse olhar atento e participativo permite que tanto ela, quanto a direção conceba as potencialidades e fragilidades da gestão.

Expansão

A ação desenvolvida por Edna integra o programa de Tutoria desenvolvido pela Fundação Itaú Social, desde 2009, junto à Secretaria Estadual de São Paulo, em dez escolas da zona leste paulistana. Com a experiência piloto, o projeto começou a se multiplicar em outras secretarias Brasil afora. Uma delas foi a rede estadual de Goiás, que possui atualmente 300 tutores nos 40 órgãos regionais dedicados às cerca de mil unidades de ensino do estado.

No estado goiano, todos os 300 são professores da rede contratados para a nova função, que é a de dar suporte aos diretores pedagógicos. Ao todo, são dez tutores no município, que atendem cada um quatro unidades de ensino, que analisam junto aos gestores como estão empregando a matriz curricular naquela escola.

© Unclesam_fotolia

Foto: © Unclesam_fotolia

 

Além desta modalidade, a cidade de Trindade (GO) realiza também tutoria voltada diretamente aos professores. Nesse execício, que se iniciou com os professores de português e matemática que tinham interesse em serem tutorados, o tutor assiste as aulas do professor e, em alguns casos, chega até mesmo a gravar ou filmar a aula. Em seguida, tutor e professor sentam juntos para assistir o registro e, assim, refletir acerca da forma como a exposição foi conduzida, quais foram os pontos positivos e negativos e como podem gerar novas possibilidades de atuação.

Para entender melhor as relações de tutoria, a Fundação Itaú Social lançou no último dia 20 o Guia de Tutoria Pedagógica e o Guia de Tutoria de Área.  O primeiro é direcionado a gestores pedagógicos, no intuito de alinhar as aulas a partir da orientação dos planos da escola, avaliação da prática em sala de aula, entre outros. O segundo é voltado a professores, para que assim qualifiquem suas ações em sala de aula, assim como exercitem o planejamento e descubram diferentes metodologias de ensino.

Escola propõe aprendizagem a partir de projetos interdisciplinares e tutorias