publicado dia 03/10/2013

Estudo da Unesco mostra que o mundo irá precisar de 8,4 milhões de professores até 2030

por

Estudo divulgado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco)  para marcar o Dia Mundial dos Professores (comemorado dia 5 de outubro), mostra que até 2030 serão necessários 8,4 milhões de professores para garantir que todas as crianças do ensino primário e secundário tenham acesso à educação.

O estudo mostra que  esse aumento se dá diante do crescimento da população e, assim, da procura escolar. Até 2015, o mundo precisará de mais de 1,6 milhão de professores primários e de 3,3 milhões até 2030. No ensino secundário, serão necessários mais 3,5 milhões de professores até 2015 e 5,1 milhões até 2030.

Uma das regiões mais preocupantes apontadas no estudo é da África Subsaariana, onde está um terço dos países com maior falta de professores, com 46% das carências desses profissionais em relação aos outros países. Nessa área, a Unesco prevê a formação de 2,1 milhão de profissionais para suprir a demanda.

Em segundo lugar do ranking, aparece a região árabe, que nos próximos 15 anos contarão com 9,5 milhões de estudantes na escola primária, o que irá requerer 500 mil novos professores para tornar esse segmento da educação universal na região.

A África Subsaariana representa 46% das carências desses professores em todo o mundo, acrescenta a Unesco, que espera que a política de contratação iniciada em vários países há uma década comece a dar frutos.

A Unesco irá discutir os dados nessa sexta-feira (4/10), em sessão especial em sua sede de Paris.

As informações são do Portal UOL Educação. 

 

Formação de professores no Brasil – Diagnóstico, agenda de políticas e estratégias para a mudança