publicado dia 20/07/2015

Estudo aponta impactos positivos da educação integral no Rio de Janeiro

por

Com o objetivo de avaliar os resultados do programa Escolas de Tempo Integral, implantado nas escolas da Prefeitura do Rio de Janeiro, a Fundação Itaú Social realizou um estudo, em parceria com o Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Os resultados apontam para uma qualificação do ensino nas escolas da rede municipal que entraram para o programa.

Os alunos apresentaram maior taxa de aprovação e mais interesse pela leitura. A pesquisa também constatou uma melhoria nos hábitos alimentares dos estudantes. Em alguns casos, a política pública carioca promoveu crescimento nas notas de Português e Matemática na Prova Rio, uma avaliação destinada aos estudantes da rede municipal.

O programa carioca começou a ser implementado em 2011. A carga horária diária passou de cinco para sete horas, e buscou-se a criação de uma matriz curricular diversificada nas escolas participantes. Nas duas horas a mais, são realizadas atividades complementares, como oficinas de artes, esporte, cultura e reforço escolar. A Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, prevê que até 2030 todas as escolas da rede passem a atuar nesse novo modelo.

Para estabelecer os resultados, o estudo levou em consideração o desempenho dos estudantes em Matemática e Língua Portuguesa na Prova Rio. Também se mensurou aspectos comportamentais, por meio de uma pesquisa de campo com 2.400 famílias de alunos participantes e não participantes do programa Escolas de Tempo Integral. A avaliação foi iniciada no final do primeiro ano de implementação do programa, e acompanhou os grupos de estudantes por dois anos.

Veja abaixo, no infográfico, os principais resultados aferidos pela avaliação.

Infográfico Escolas de Tempo Integral RJ

Mais tempo na escola: como, por que e para quê?