publicado dia 01/04/2016

Estudantes cariocas mantêm duas escolas ocupadas

por

O movimento de ocupação nas escolas do Rio de Janeiro completa dez dias. Após o Colégio Estadual Mendes de Moraes, na Ilha do Governador, ser ocupado no dia 21 de março, um grupo de estudantes do Colégio Estadual Gomes Freire, na Penha, zona norte da cidade, também aderiu à mobilização.

Com os atos, os alunos se colocam contrários aos cortes anunciados pelo governo estadual que devem reduzir em 9,3% o orçamento da educação, além de apoiarem a greve dos professores iniciada em março.

Colégio foi o primeiro a see ocupado. Créditos: dilvulgação

Colégio Estadual Mendes de Moraes foi o primeiro a ser ocupado. Créditos: divulgação

Os estudantes do Mendes de Moraes alegam que sofrem com a superlotação das salas (50 alunos na sala) sem ventilação apropriada, falta de professores e de funcionários. Eles relatam que porteiros e inspetores foram demitidos e, no lugar deles, trabalhadoras da limpeza acabam tendo que exercer essas funções.

Esta semana houve uma tentativa por parte da Secretaria de Educação de reintegrar a posse das escolas, após reunião com as comissões de estudantes que terminou sem acordos.

Em nota, o órgão informou que após o fim da ocupação serão tomadas medidas como “conversar com a direção das duas unidades para que organizem o grêmio estudantil e fortaleçam os conselhos escolares”. Também foi prometido verificar a necessidade de melhorias na infraestrutura das escolas.

Escolas ocupadas mostram que outra educação é possível e necessária