publicado dia 16/01/2017

Animação afirma: é preciso respeitar os interesses das crianças

por

Vida urbana, cotidiano, cinza, tique-taque, rotina, trabalho, escola, casa, escola, trabalho, papel, contas, digitação. É nesse cenário ritmado que se inicia a história narrada pelo filme “Alike“, ou “Parecidos”, em tradução livre para o português, um curta de animação dirigido por Daniel Martinez Lara e Rafiki Cano Mendez. Em oito minutos, somos convidados a acompanhar o pai Copi na tentativa de dialogar com seu filho Paste.

Acompanhando o dia a dia de uma grande cidade, vemos Copi se alegrar e voltar à cor, à vida quando encontra o pequeno. Cansado da rotina escolar, e do cinza diário, Paste desafia seu pai a criar estratégias para deixar a vida mais alegre, com mais sentido.

Leia também: Criatividade é fundamental para o sucesso da aprendizagem

Dica

O filme é uma boa oportunidade para começar o ano escolar, tanto em reunião de professores, quanto em atividades com os familiares e estudantes. Discutir a sociedade contemporânea e o papel da escola pode ser uma boa pauta para debater o trabalho pedagógico previsto.

De forma sensível, a animação discute a importância da escuta nas relações entre pais e filhos, o lugar massificador que a escola, muitas vezes, ocupa e a semelhança dela com espaços de trabalho em que a criatividade e a ludicidade não encontram eco. Com uma mensagem super positiva, o curta nos lembra da importância da imaginação como caminho para fazer do mundo um lugar mais colorido.

Ao mesmo tempo, o filme retoma a necessidade de que processos educativos sejam customizados às necessidades e interesses das crianças, entendendo o vínculo e as relações de afeto como fundamentais para a aprendizagem.

Alike short film from psl on Vimeo.

Produção

Ganhador de mais de 50 prêmios – entre eles o de Melhor Curta-metragem de Animação no Festival Goya, o curta espanhol foi desenvolvido no software livre Blender, operado pelo sistema Linux, como um projeto pessoal dos diretores em parceria com estudantes egressos da escola de animação de Barcelona, Pepe-School-Land.

Tomando a premissa do filme como base para o trabalho, a criação de personagens e da narrativa foi toda realizada em diálogo pelo grupo, em um intenso e criativo processo de co-criação.

 

Avaliação deve estimular a criatividade em vez de registrar fracassos e dificuldades