publicado dia 30/01/2020

10 materiais pedagógicos acessíveis desenvolvidos por educadores

por

Em 2018, a formação Materiais Pedagógicos Acessíveis (MPA), oferecida pelo Instituto Rodrigo Mendes, certificou 38 cursistas, que desenvolveram 14 projetos, impactando cerca de 420 estudantes.

Leia + Professor promove inclusão ensinando robótica para crianças com deficiência

O percurso formativo foi oferecido a educadoras e educadores da Diretoria Regional de Ensino (DRE) Capela do Socorro, em São Paulo (SP). O Portal DIVERSA divulgou, entre os meses de setembro e outubro, dez materiais pedagógicos acessíveis desenvolvidos por esses educadores durante a formação. Para conferir como foi essa edição e conhecer todos os materiais, basta assistir ao vídeo institucional desse ciclo.

Os materiais pedagógicos acessíveis são recursos desenvolvidos por educadoras e educadores para auxiliar o processo de ensino-aprendizagem de todos estudantes, com e sem deficiência. Todos os materiais divulgados pelo DIVERSA são compostos por um texto de apresentação com articulação com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e desenho universal para aprendizagem; tutoriais em vídeo e texto; relatos de experiência dos educadores; e vídeos de aplicação nas escolas.

Educadores da EMEF João de Deus Cardoso de Mello desenvolveram o material Placas tectônicas, que foi pensado para trabalhar conteúdos da aula de Geografia com os estudantes do 6 º ano. O material foi criado para o estudo de fenômenos geológicos como vulcanismo, terremotos e tsunamis, que não são facilmente observados no Brasil. Foi desenvolvido um quebra-cabeça com as diferentes camadas da crosta terrestre, que permite a visualização de maneira concreta do manto, das placas tectônicas e dos continentes.

Já na EMEF Carlos Francisco Gaspar, os educadores idealizaram o material Teatro de fantoches, criado para ampliar as possibilidades de comunicação dos estudantes do Fundamental 1. O teatro tem um painel sonoro com botões de áudios diversos, tais como trovão, palma e chuva, que são identificados por pictogramas impressos 3D em diferentes formatos e texturas para facilitar seu reconhecimento.

O Jogo de trilha interativo, desenvolvido por educadores da EMEF Manoel Vieira de Queiroz Filho, tem o papel de colaborar com a participação de estudantes também do Fundamental 1 nas atividades com jogos de tabuleiro. Foram criados três produtos: uma trilha com botões de áudio em inglês com perguntas sobre o tema da sustentabilidade; pinos confeccionados com a impressora 3D em diferentes formatos e cores e imantados para melhorar o manuseio e fixação pelos estudantes; e um dado digital com recursos visuais e sonoros.

Os outros sete materiais foram desenvolvidos em diferentes escolas e para diversos níveis de ensino. São eles: Trilha dos seres vivos, Roleta silábica, Mapa mundi interativo, Tabela periódica magnética, Baú para contação de histórias, Painel de votação digital, Caixa silábica.

*Reportagem publicada originalmente por Instituto Rodrigo Mendes.

 

Síndrome de Down na escola: dicas e práticas de inclusão