Política esportiva modifica a realidade de jovens em Cabo Verde

Publicado dia 28/05/2014

Créditos: Reprodução

Créditos: Reprodução

A população quase essencialmente jovem da cidade africana de Praia, capital de Cabo Verde, traz ao território um desafio constante: salvaguardar os direitos humanos de crianças e adolescentes. A tarefa se faz ainda mais urgente pela crescente onda de violência urbana local, impulsionada por um crescimento urbanístico que reforça os problemas sociais da cidade.

Como possível alternativa, a gestão municipal local apostou na democratização das práticas esportivas como uma tentativa oferecer lazer aos jovens moradores e também investir nos espaços públicos do território, que não ofereciam as condições necessárias para seu aproveitamento. Nascia então o Esporte para Todos, uma política esportiva fundamentada em seis objetivos principais:

– remodelar seis equipamentos esportivos existentes.
– construir novos espaços esportivos (9 ginásios poliesportivos, 10 quadras de basquete de rua (street basket), 17 parques fitness, 3 campos de futebol e outros 3 de futebol society).
– criar um sistema de gestão dos equipamentos esportivos a partir de comissões estabelecidas entre os próprios moradores, estreitando relação de colaboração na cidade.
– incorporar profissionais do esporte para gerir o projeto.
– criar escolas de iniciação esportiva (futebol, judô, karatê, entre outras modalidades).

O programa também fomentava o esporte feminino, já que havia evidências de que as mulheres praticavam ainda menos esporte do que os homens.

A estruturação dos espaços esportivos

Para aproximar a comunidade e despertar um sentimento de zelo pelos equipamentos esportivos, o projeto contratou jovens desempregados dos próprios bairros em que as ações aconteciam para a construção desses locais. Além de fomentarem a prática esportiva entre a comunidade, os espaços também aumentaram as oportunidades educativas das escolas, que passaram a fazer uso da infraestrutura para suas práticas pedagógicas. Além disso, também serviram para as escolas de iniciação esportiva, instituições que  podem ser frequentadas por crianças e adolescentes matriculados na escola e com bom desempenho nos estudos.

Os parques fitness foram distribuídos por 17 bairros da cidade, contribuindo com a melhoria da saúde da população local e as quadras de basquete também passaram a ser utilizadas com frequência pelos moradores.

Gestão local e compartilhada

A gestão dos equipamentos esportivos da cidade é feita a partir da instituição de comitês de bairros; os membros de tais comissões são elegidos pela própria comunidade e, em maioria, atuam em associações de desenvolvimento local. É condição que cada comitê tenha uma mulher entre sua composição, de forma a garantir o olhar para o esporte feminino; além disso, é garantida a presença de um membro da prefeitura, de forma a assegurar o diálogo entre a sociedade civil, população local e o governo.

Além de organizar o planejamento e horário das atividades nos equipamentos esportivos, os comitês também promovem atividades culturais à comunidade. Além dos torneios e campeonatos, são comuns concursos musicais e conferências sobre temas diversos de interesse da comunidade – elegidos em processos dialógicos e democráticos. Muitas dessas atividades são realizadas a partir do financiamento de parceiros, como empresas ou instituições locais; outras vezes, os espaços esportivos são utilizados para recolher fundos para a realização das mesmas, reiterando a importância da intersetorialidade e corresponsabilização para a educação integral.

O uso dos espaços esportivos é gratuito, exceto quando utilizados à noite, ficando a cargo do responsável os custos com iluminação do equipamento.

A difusão da iniciativa conta com o apoio dos meios de comunicação da cidade de Praia: revistas, sites, rádio e televisão, tanto de ordem pública, quanto comunitários e até redes de mídia privadas. Para os organizadores, os espaços esportivos não só trazem novas oportunidades à comunidade local, como se configuram como locais de intercâmbio esportivo e cultural.

Início e duração: de 2009 a 2012
Local: Cidade de Praia, Cabo Verde.
Responsáveis: Prefeitura Municipal de Praia.
Envolvidos e parceiros: Organizações locais, veículos de mídia local. 
Financiamento: Prefeitura Municipal de Praia.

Créditos: Reprodução

Créditos: Reprodução

Principais resultados

Além de trazer a prática esportiva para a cidade de Praia, o projeto possibilitou intercâmbio entre jovens de diversos bairros a partir da possibilidade do uso de equipamentos esportivos; a experiência também estimulou autonomia e participação entre a comunidade, a partir da possibilidade de gestão local e comunitária dos espaços e atividades culturais.

Também se ampliaram as possibilidades educativas das escolas que, em maioria, não dispunham de áreas para acomodar atividades esportivas com seus alunos. O projeto ainda apresentou nova dinâmica à cidade que, a partir da reconfiguração de seus espaços começou a ser procurada por associações, empresas e clubes esportivos, ampliando a oferta cultural e esportiva a toda a população.

Contato

Prefeitura Municipal de Praia

Site: www.cmp.cv 

Telefone:  (+238) 260 40 00

Com informações da Associación Internacional de Ciudades Educadores

“Além de ser motivador para os alunos, o esporte trabalha a socialização dos conhecimentos”