Na Índia, escola Riverside aposta em empoderar os alunos

Publicado dia 06/08/2014

Iniciativa: Escola Riverside

Pública ou privada: privada

Descrição:

Em Riverside, o dia começa com uma reunião de toda a comunidade escolar para debater as atividades que serão realizadas ao longo da jornada. Ali, alunos e professores discutem o que querem aprender e ensinar, quais atividades serão realizadas e porque tais conteúdos são importantes. A prática, que pode parecer pouco usual, tem como consequência a solução de um problema recorrente nas escolas tradicionais: o desinteresse pela escola. Da reunião, as crianças saem conscientes da importância do que irão aprender, estimuladas para o dia que terão pela frente e engajadas no processo de aprendizagem.

A atividade já revela uma das grandes linhas de atuação da escola: a autonomia dos estudantes. Constantemente, as crianças e adolescentes são estimulados a construírem o próprio conhecimento com trocas que podem ocorrer entre colegas da mesma turma, entre alunos de diferentes faixas etárias e podem também contar com a participação dos pais, que são convidados a contribuir com o processo de aprendizagem na unidade de ensino.

riverside

Foto: Reprodução

O processo de aprendizagem também ocorre junto à comunidade, quando as crianças são chamadas a pensar seu entorno, perceber os problemas e a propor e implementar soluções. A escola se inspira no pacifista indiano Mahatma Gandhi para afirmar que a cidadania significa que cada um deve ser a mudança que deseja ver na sociedade. As atividades são das mais diversas – desde alunos que propuseram criar um tour de áudio para as crianças que visitam o zoológico até estudantes que decidiram produzir chocolates para serem vendidos em um evento beneficente. Em ambos casos, os educadores cumpriram papel de mediadores, conduzindo as atividades e a aprendizagem a partir do interesse real dos alunos.

Outras atividades em Riverside buscam aproximar os alunos da realidade desigual do país. Em uma delas, as crianças passaram horas enrolando incensos, como fazem aquelas que trabalham. Após duas horas e já com o corpo dolorido, os alunos tiveram sua percepção modificada e saíram para conversar com a comunidade a necessidade de erradicar o trabalho infantil. Para a diretora e fundadora da escola, Kiran Sethi, este foi o resultado do empoderamento das crianças: “elas passaram do ‘a professora disse’ para o ‘eu estou fazendo’”.

Kiran conta que quando criou a escola em 2001 desejava que ela fosse um espaço de disseminação do ‘vírus’ do “eu posso”. Para Kiran, quando se diminui o espaço entre a escola e a vida, as crianças passam por uma jornada de conscientização e de autonomia, percebendo o papel que têm na comunidade e caminhos, amplamente discutidos e mediados na escola, para efetivamente conduzir mudanças na realidade local.

Início e duração: 2001 até os dias atuais

Local: Ahmedabad, oeste da Índia

Responsáveis: Escola Riverside

Principais resultados

Em 13 anos de atividade, a escola Riverside se tornou mundialmente conhecida pelo modelo inovador e criativo. Se em 2001 ainda era uma instituição experimental com 21 alunos, Riverside fechou 2013 com 374 estudantes e como referência de experiência educativa.

Não é apenas pelas atividades inovadoras que Riverside é conhecida. Anualmente, as notas dos estudantes em inglês, matemática e ciências superam em muito a média nacional. No entanto, Kiran relativiza os resultados, problematizando que os mesmos avaliam mais a capacidade de memorização dos estudantes do que a aprendizagem e o bem estar deles – estas sim, verdadeiras preocupações da equipe e da proposta pedagógica da escola.

Contato:
Site: School Riverside
E-mail: inquiry@schoolriverside.com

Três escolas e as várias conquistas da autonomia