Em SP, Projeto Coletivo Jovem cria rede entre grupos culturais

Publicado dia 06/01/2014

Iniciativa: Projeto Coletivo Jovem

Pública ou Privada: 3º Setor

Diante do déficit de programas juvenis voltados às populações das periferias paulistanas, diversos  jovens iniciam seus próprios processos de aprendizagem e cultura. Atuar em organizações sociais é uma das formas de empoderá-los e fazê-los reconhecer seu papel enquanto sujeito social, capaz de agir e tomar atitudes a partir de suas próprias convicções.

Juventudes

De acordo com a publicação “Juventude e Adolescência no Brasil – referências conceituais”, da ONG Ação Educativa, a definição de juventude possui diferentes vertentes, indo desde de uma faixa etária, um período da vida ou uma categoria social. Mesmo com tantas explicações acerca de um termo, pode-se dizer que a juventude representa o período da vida que se dá entre a infância e a maturidade. Desse modo, mesmo a idade sendo uma das variantes na denominação de juventude, não pode ser a única, já que pode existir diferentes recortes etários e formas de vivenciar essa etapa. Leia mais em nosso Glossário.

Com esse propósito, cinco organizações juvenis da cidade de São Paulo foram escolhidas pelo Programa Aprendiz Comgás (PAC) para integrar o Coletivo Jovem e, assim, garantir formas de continuidade e sustentabilidade a essas iniciativas.

Situados na zona leste, na região periférica de SP, os coletivos selecionados atuam nas áreas de teatro, música, audiovisual e literatura. São eles: Usina de Atos, Filhos da Dita, Cinemateus, Grupo Palavra e Coletivo Marginaliaria.

O trabalho teve como base o suporte do PAC tendo em vista a criação de uma rede, principalmente no que diz respeito ao uso de recursos materiais e financeiros; articulação no território e utilização de ferramentas de avaliação e comunicação.

Coletivo Jovem/ Créditos? Programa Aprendiz

Coletivo Jovem/ Créditos: Programa Aprendiz

A partir da metodologia do “aprender fazendo”, os grupos de jovens de 18 a 29 anos, iniciaram as atividades com o “Ciclo de Vivências Colaborativas”, o que permitiu compartilhar os saberes, pontos de vista e dúvidas de cada organização, a fim de encontrar pontos em comum entre elas. Assim, os jovens puderam construir coletivamente um plano de ação com objetivos em comum, a partir do contexto social de quatro bairros da zona leste paulistana: Cidade Tiradentes, Itaquera, São Mateus e São Miguel.

A união também possibilitou a contratação de uma assessoria jurídica e contábil para a formalização dos coletivos, além do planejamento estratégico para divulgar as atividades de cada um. Além disso, os integrantes passaram a fazer parte de redes de reflexão, articulação e mobilização dirigidas à discussão de políticas públicas voltadas à juventude.

Início e duração: A primeira edição do projeto foi realizada em 2002, porém, ele foi retomado e finalizado em 2013.
Local: São Paulo
Responsáveis: Programa Aprendiz Comgás
Envolvidos e parceiros: Associação Cidade Escola Aprendiz, Usina de Atos, Filhos da Dita, Cinemateus, Grupo Palavra e Coletivo Marginaliaria.
Financiamento: Comgás

Principais Resultados

Com a criação do Coletivo Jovem, os grupo juvenis conseguiram dar mais visibilidade às suas ações, a partir de uma publicação planejada e escrita por eles próprios sobre como atuam em seus territórios, alcançando tanto os moradores dos locais onde estão situados, quanto setores públicos e privados, que futuramente podem colaborar na continuidade das ações.

Coletivo Jovem/ Créditos? Programa Aprendiz

Coletivo Jovem/ Créditos? Programa Aprendiz

Três dos cinco grupos envolvidos puderam criar CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica). São eles: o Cinemateus, Usina dos Atos e Marginaliaria. Os Filhos de Dita têm como propósito participar de uma cooperativa.

Outro resultado positivo foi a criação de uma rede que se criou a partir do encontro dos coletivos, que possibilitou a criação de uma agenda comum aos territórios, discutindo pontos positivos e negativos das organizações culturais independentes na periferia. Para uma das integrantes do Marginaliaria, Simone Freire, é muito importante fomentar um circuito de pessoas que promovam cultura na periferia.

No total, 58 jovens integrantes desses coletivos foram impactados pelo projeto Coletivo Jovem e mais de 600 mil jovens serão beneficiados com a institucionalização desses grupos.

Materiais e Publicações
Revista Conexões: aprendizados e resultados

Contatos
Site: www.aprendizcomgas.org.br
Facebook: www.facebook.com/programaaprendizcomgas
Twitter: www.twitter.com/aprendizcomgas
Flickr: www.flickr.com/photos/programasaprendizcomgas
Telefone: (11) 3096-3900

Coletivo leva discussão sobre mobilidade urbana a escolas públicas