publicado dia 07/10/2014

Projeto no litoral paulista quer criar conexão entre jovens e seu entorno

por

Chegando à sua terceira edição, a iniciativa “Guardiões do Oceano” busca criar conexões entre jovens e seus territórios almejando a proteção ambiental. O projeto já foi realizado nas cidades paulistas litorâneas de Ubatuba e Santos, e agora está angariando fundos para acontecer em Ilhabela.

Por meio de vivências na natureza, os jovens passam a conhecer comunidades isoladas tradicionais e o ecossistema que os rodeiam – estimulando a criação de laços com a comunidade e natureza. Além de almejar a proteção do meio ambiente, a iniciativa busca valorizar a cultura caiçara.

Na cidade de Ilhabela, que tem recebido muitos migrantes de outros estados, o reconhecimento e conexão com os territórios se fazem ainda mais importantes. “Os jovens que hoje em Ilhabela não tem um vínculo e não tem uma identidade com esse local. Ao atingir esse sentimento de pertencimento é o que vai fazer com que o jovem se engaje e exerça seu papel de cidadão”, argumenta a idealizadora do projeto Juliana Cortez.

O projeto também quer estimular o protagonismo juvenil, inspirando o jovem a se responsabilizar pela sua comunidade. “A ideia é trabalhar o fortalecimento da identidade deste jovem, sendo ele protagonista da própria história.”

Já com uma parceria firmada com a Secretaria Municipal de Educação, o “Guardiões do Oceano” acontecerá no primeiro semestre de 2015. Serão oito encontros, de dois dias cada, que incluirão saídas no “barco-escola” e uma expedição de três dias na Ilha, fazendo trilhas e conhecendo comunidades caiçaras. Participarão do projeto 30 estudantes de 12 a 15 anos.

Para se concretizar, os organizadores estão arrecadando fundos pelo site de financiamento coletivo Catarse. O intuito é angariar R$ 35 mil para custear o projeto, sendo que o pagamento dos profissionais será viabilizado por meio de parcerias institucionais. Se desejar colaborar, mais informações estão disponível na página do projeto no site Catarse.

Conheça mais da iniciativa no vídeo abaixo:

 

Uma viagem pela infância em 32 países