publicado dia 08/05/2014

Pilar Lacerda escreve sobre os desafios da gestão pública e escolar

por

Apoiar o professor e fazer da escola um ambiente democrático são ações essenciais para o sucesso da educação. É o que defende Pilar Lacerda, na coluna Falando com o Gestor, publicado originalmente na Revista Escola Pública.

pilar1

Mensal, a coluna traz textos escritos por Pilar em primeira pessoa e apresenta aos diretores de escolas e gestores públicos um pouco da vivência da educadora, que atuou muitos anos como professora de história e foi também secretária de educação de Belo Horizonte (MG) e presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

No artigo A direção não é para amadores, destinado aos diretores escolares, é possível conferir a experiência de Pilar em uma escola situada em área vulnerável de Belo Horizonte e os desafios que ela encontrou como vice-diretora. “Aprendemos muito – a prática é formadora […] Descobri, na primeira manhã como gestora de uma escola pública, que só conhecia as salas de aula, sala dos professores, secretaria (para levar notas) e portaria principal”, aponta ela, que acredita que a formação do diretor e de sua equipe deve ser priorizada.

“Um estudo da realizado pela Fundação Lemann e Itaú BBA – ‘Excelência com equidade: as lições das escolas brasileiras que oferecem educação de qualidade a alunos de baixo nível econômico’- demonstra que boas escolas não têm fórmulas mirabolantes. Elas têm uma equipe coesa, conseguem implementar um ambiente agradável, que tem a aprendizagem para todos como norte, contam com a participação da comunidade, sabem enfrentar democraticamente a resistência interna e respeitam e apoiam os professores”, complementa.

Já o artigo Para começar uma nova gestão discursa diretamente com o gestor, secretário de educação que iniciou o seu trabalho há pouco tempo. Ela aponta que o servidor pública, seja da escola ou de uma secretaria, nunca está completamente pronto para exercer sua função, e por isso a vivência prática se faz muito importante. No texto, Pilar discorre que é importante pensar em uma equipe que traga diversidade de ideias, para que o debate em torno das questões educacionais leve à reflexão de como a gestão pode alcançar bons resultados. “Ao formar a equipe, o gestor educacional tem de pensar nas diferentes áreas que terá de administrar: pedagógica, financeira, materiais, recursos humanos, infraestrutura, e nos melhores perfis para assumir cada uma delas”.

Os artigos podem ser conferidos integralmente na seção de Materiais do Centro de Referências em Educação Integral.

Diretores escolares: educadores ou gerentes?