No projeto Âncora, em Cotia, a proposta pedagógica encoraja autonomia na aprendizagem

Publicado dia 27/08/2013

Iniciativa: Proposta Pedagógica do Projeto Âncora

Pública ou Privada: 3° setor

Descrição: Em funcionamento desde 1995, o Projeto Âncora foi fundado originalmente como uma organização não governamental para desenvolver projetos sociais e culturais com crianças de baixa renda no contraturno das escolas. Em 2011, o educador e idealizador da Escola da Ponte de Portugal, José Pacheco, chega ao projeto para auxiliá-lo a tornar-se uma escola da educação básica. Porém, com uma proposta diferente das escolas tradicionais.

Projeto Âncora

Jovens apresentam planejamento das atividades pedagógicas que querem participar

Como na Escola da Ponte – uma das principais referências em Educação Integral -, o objetivo do Âncora é fazer com que os 680 meninas e meninos entre um e 18 anos sejam autônomos de seu próprio aprendizado e que a escola seja um dos espaços em que este processo aconteça, mas não o único.

O projeto é desenvolvido com base em roteiros de estudo, e não por apostilas ou livros didáticos. Todos os dias, ao chegarem, os estudantes se encontram com o tutor, com quem elaboram o planejamento das atividades que irão realizar ao longo do dia, assim como quais horários vão destinar às disciplinas e quais serão os momentos de brincar, andar de skate, conversar com os amigos ou mesmo descansar.

Mas, antes de montarem o planejamento, os alunos analisam o roteiro de estudos que, todas as terças-feiras, produzem junto ao tutor. É neste momento em que os estudantes indicam o que desejam aprender naquela semana e o tutor os auxilia na escolha de temas e recursos a serem utilizados.

No fim do dia, os estudantes se encontram novamente com o tutor para discutir o que aprenderam e compartilhar aquilo que tiveram dificuldade, seja por meio de conversas, contando histórias ou em formas de brincadeira. Toda vez que um aluno aponta dificuldades em realizar algum item do roteiro, o tema é resgatado no novo planejamento.

Os estudantes também podem também se organizar para as oficinas oferecidas no espaço. Os processos de aprendizagem se dão em salões, onde os alunos se sentam em grupos.  Caso precisem de ajuda, levantam as mãos e chamam algum educador. Na sala fica pendurado, ainda, um cartaz dividido por duas colunas: “Preciso de Ajuda e Posso Ajudar?”. Nele, as crianças e adolescentes podem pedir apoio aos colegas escrevendo o nome na primeira coluna. Aqueles que podem auxiliar dizem quando, onde e em qual horário podem se encontrar para o estudo, num processo de educação de pares.

Início e duração: 2011 até os dias atuais.

Local: Estrada Municipal do Espigão, 1239 – Jardim Rebelato, Cotia – São Paulo, SP – CEP: 06710-500

Responsáveis: Projeto Âncora.

Envolvidos e parceiros: Comunidade do entorno, famílias e organizações locais.

Financiamento: Empresariado.

Principais Resultados: A autonomia da aprendizagem desperta o interesse e a sensação de pertencimento das crianças ao processo pedagógico. São elas quem escolhe o que querem e quando querem aprender, respeitando o tempo de aprendizado individual.

Materiais e Publicações

Leia a matéria publicada no Jornal D’aqui, publicação da com notícias e artigos da cidade de Cotia.

Contatos:

Telefone: (11) 4612-9966

Site do Projeto Âncora: www.projetoancora.org.br

Blog: projetoancorablog.blogspot.com.br

Facebook: www.facebook.com/ProjetoAncora

Twitter: twitter.com/projetoancora

Youtube: www.youtube.com/projetoancora