6° Prêmio Territórios Tomie Ohtake

publicado dia 20/06/2016

Foco central no estudante é consenso em formação sobre a BNCC

por

“Foco central nos sujeitos de aprendizagem é chave para a Base Nacional Curricular Comum.” A premissa foi consenso entre os palestrantes que participaram da atividade de formação para a realização dos seminários sobre a BNCC. Organizada pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e pela União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), a atividade, que teve início hoje (20/6) e segue até amanhã, reuniu técnicos e dirigentes de ensino que irão apoiar os 26 estados e Distrito Federal na realização de seminários de debate sobre a 2ª versão do documento.

Saiba +:   Segunda versão da Base começa a ser discutida nos Estados em junho

Especialistas convidados
Textos Introdutórios: Natacha Costa (Aprendiz / GT Desenvolvimento Integral)
Linguagens: Delaine Bicalho (UFMG/Leitora Crítica do MEC)
Matemática: Katia Smole (Mathema)
Ciências da Natureza: Ghisleine Trigo (SEE-SP)
Ciências Humanas: Gabriella Pellegrino (USP/ Anpuh)
Etapas
Educação Infantil: Beatriz Ferraz (FMCSV) e Tizuko Kishimoto (USP)
Ensino Fundamental: Anna Helena Altenfelder (Cenpec)
Ensino Médio: Ricardo Cardoso (MEC)

Além de apresentar a estrutura-base dos seminários, neste primeiro dia, foram realizadas mesas-redondas que discutiram os avanços e desafios ainda presentes na proposta. Nestas, os especialistas convidados afirmaram que a segunda versão do texto avançou ao garantir a centralidade dos estudantes e não dos conteúdos, partindo dos direitos de aprendizagem e desenvolvimento, seguindo para as etapas e áreas do conhecimento, chegando, então  aos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento dos estudantes.

“Na discussão, demos ênfase à defesa de que a formação integral deve ser o compromisso ético da base, compromisso que orienta todos os seus elementos”, afirmou Natacha Costa, diretora da Associação Cidade Escola Aprendiz, e responsável pela articulação do Centro de Referências em Educação Integral representou o GT Desenvolvimento Integral, ligado ao Movimento pela Base. Os especialistas das áreas do conhecimento e etapas de educação também detalharam os pontos-chave da construção e destacaram as expectativas para a redação final do texto.

Amanhã, os participantes terão acesso a uma proposta de metodologia para a realização das atividades estaduais, a fim de garantir a participação de diferentes representantes das redes municipais e estaduais de ensino.

Seminários Estaduais

A proposta é que durante os seminários estaduais, os participantes possam sugerir alterações a serem compiladas em um relatório que se configurará na proposta do estado para a Base Nacional Comum.

A expectativa é reunir, entre 23 de junho e 4 de agosto, contribuições de mais de 7 mil pessoas, entre professores, estudantes e representantes da sociedade.

Leia também: Formação integral é foco da proposta formativa em nova versão da BNCC

Com informações da Undime

Em nenhum país, Base Nacional Comum Curricular foi discutida pelo Congresso

As plataformas da Cidade Escola Aprendiz utilizam cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para recomendar conteúdo e publicidade.
Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições.