publicado dia 19/02/2020

BNCC: você sabe a diferença entre competências e habilidades?

por

Competência e habilidade são termos muito citados atualmente por conta da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que chega às escolas da rede pública e particular de todo o Brasil em 2020.

Leia + A formação de professores à luz da BNCC

O documento de caráter normativo define o conjunto de aprendizagens essenciais que todos os estudantes devem desenvolver ao longo das etapas da Educação Básica, da Educação Infantil ao Ensino Médio. Mas ainda existe uma confusão sobre o significado de cada um dos termos e a diferença entre eles.

A formação humana integral e a construção de uma sociedade mais justa, democrática e inclusiva foram norteadoras para a BNCC definir um conjunto de dez competências gerais que devem ser desenvolvidas de forma integrada aos componentes curriculares.

Mas você sabe o que são competências? A professora do curso de Pedagogia do Instituto Singularidades, Denise Rampazzo, explica que o termo surge na psicologia em meados dos anos 50, com os estudos sobre linguística do norte-americano Noam Chomsky.

A partir dos anos 70, a palavra passou a ser associada à qualificação profissional e utilizada na educação apontando a necessidade de a escola desenvolver uma matriz de avaliação mais efetiva. “Nos anos 2000, essa concepção começa a aparecer no Brasil por meio das grandes avaliações, como o ENEM”, explica a especialista.

No texto da BNCC, a definição de competência aparece como “a mobilização de conceitos (conceitos e procedimentos), habilidades (práticas, cognitivas e socioemocionais), atitudes e valores para resolver demandas complexas da vida cotidiana, do pleno exercício da cidadania e do mundo do trabalho”. É, portanto, a capacidade de mobilizar recursos, conhecimentos ou vivências para resolver questões da vida real, como pensamento crítico e empatia.

Já as habilidades indicam o que aprendemos a fazer e são sempre associadas a verbos de ação, como identificar, classificar, descrever e planejar. No contexto escolar, ler e interpretar um texto, apresentar um trabalho para os colegas e realizar operações matemáticas são exemplos de habilidades que os estudantes desenvolvem ao longo da evolução escolar.

Conceitos complementares

O desenvolvimento de competências passa pela articulação de várias habilidades, que são organizadas na BNCC de maneira progressiva, ou seja, das mais simples para as mais complexas.

Para exemplificar: a competência geral referente à Cultura Digital prevê que o estudante compreenda e utilize as tecnologias digitais e a comunicação de forma crítica, reflexiva e ética. Para isso, ele precisará desenvolver diversas habilidades, como interpretar e compreender texto e contexto, utilizar ferramentas tecnologias e pesquisar diversas fontes.

“As competências só serão alcançadas plenamente se as habilidades forem sendo desenvolvidas em todos os anos, por todos os componentes curriculares. Vale dizer que muitas habilidades demoram muito tempo para serem adquiridas”, ressalta Denise Rampazzo.

Confira os infográficos abaixo para entender melhor o que cabe a cada um dos termos, dentro da esfera da BNCC.

*Reportagem publicada originalmente no site da Fundação Telefônica.

Educação integral e a implementação da BNCC