publicado dia 26/10/2015

Governo confirma que 94 escolas serão afetadas por “reorganização”

por

A Secretaria de Educação do Estado de São Paulo anunciou nesta segunda (26/10) o número de escolas que serão afetadas pela reorganização escolar: ao todo, 94 unidades serão “disponibilizadas” – nas palavras da Secretaria -, o que significa que podem se tornar outro equipamento educacional, como Etec, Fatec, escola de ensino integral, escola municipal, creche ou centros de educação para jovens e adultos. Segundo informações da Secretaria, desse total, 66 escolas já possuem um novo uso definido, enquanto as outras 28 ainda têm destino incerto.

Estudantes e professores fazem protesto contra as medidas do governo estadual

Estudantes e professores fazem protesto contra as medidas do governo estadual

Outras 754 escolas do Estado devem se configurar ao modelo de ciclo único, ou seja, passarão a atender exclusivamente um ciclo escolar – ensino fundamental I, ensino fundamental II ou Ensino Médio. Esse número representa um aumento desse modelo na rede estadual, que passa de 1.443 unidades para 2.197 – ou seja, 52,2%.

A medida deve impactar 311 mil estudantes, que terão de mudar de escola, além de 74 mil professores. Os números diferem do anúncio inicial do projeto, em que se previa a reorganização de mil escolas e o impacto de cerca de 1 milhão de alunos.

Saiba +Fechamento de escolas em SP: Defensoria e Ministério Público pedem explicação
Apeoesp diz que 155 escolas serão fechadas em todo o estado de São Paulo

Próximos encaminhamentos

De acordo com a Secretaria, acontecerá nesta terça (27/10) uma reunião com os dirigentes de ensino para conhecimento das escolas que estarão enquadradas nessas mudanças. A lista possivelmente deve sair até o final desta semana.

Como a transição está prevista para o ano que vem, as unidade escolares e suas comunidades – pais, estudantes, professores e demais funcionários, serão oficialmente comunicadas no dia 14 de novembro, no chamado “Dia E”, que acontecerá em todas as escolas do Estado.

A Secretaria de Educação lançou uma campanha de atualização dos dados cadastrais dos alunos da rede, apontando que o preenchimento das informações é importante para melhorar a comunicação com as famílias paulistas e informá-las sobre as oportunidades e novidades nas escolas estaduais.