publicado dia 23/03/2018

Ministro da Educação diz que deixará cargo para disputar eleição

por

Michel Temer (PMDB) reuniu-se com a cúpula dos Democratas (DEM), nesta quarta-feira 22, para decidir o cenário eleitoral de 2018. Dentre outras mudanças, ficou decidido que Mendonça Filho, ministro da Educação, deixará o cargo entre os dias 5 e 6 de abril, para disputar uma reeleição, provavelmente no Congresso Nacional.

Ele poderá indicar um técnico para seu lugar, de acordo com aceitação do Planalto. A favorita de Mendonça Filho, por enquanto, deve ser a secretária-executiva do MEC, Maria Helena Guimarães de Castro.

Há, contudo, um empecilho: a ligação de Maria Helena com o PSDB desagrada o governo. Carlos Marun, da Secretaria de Governo, afirmou que o DEM será mantido no comando do MEC.

Cenário

A mudança faz parte de uma reforma ministerial iniciada em dezembro passado, quando ministros começaram a movimentar-se para deixar o cargo e iniciar suas campanhas eleitorais.

O primeiro deles foi  Ronaldo Nogueira (PTB), que deixou o ministério do Trabalho em dezembro, seguido pelo ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira (PRB), e o o ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP).

*Com informações de Agência Brasil e Poder360

Sob justificativas equivocadas, governo Temer anuncia investimento no Ensino Médio integral