Currículo na Educação Integral

Uma política de Educação Integral deve colocar em prática um modelo de gestão integrada que garanta a unidade na rede municipal de educação ao mesmo tempo em que sustenta o exercício da autonomia de cada escola e sua relação com o território.

No que diz respeito ao currículo, cabe à Secretaria de Educação promover um processo dialógico que envolva os gestores educacionais, gestores escolares e professores e, se possível, os estudantes na construção da proposta curricular da rede e na definição dos recursos necessários para a sua implementação (recursos materiais, formação e estratégias de avaliação e monitoramento).

Por sua vez, cabe às escolas empreender um processo participativo de revisão dos seus Projetos Políticos Pedagógicos à luz da matriz curricular da rede, orientando processos formativos permanentes que apoiem professores e funcionários na implementação de práticas de gestão e pedagógicas orientadas pela Educação Integral.

A autonomia pedagógica das escolas pressupõe que devem ser garantidas escolhas e adaptações necessárias a cada contexto. Ao mesmo tempo, a Secretaria de Educação atua de forma estratégica na formação continuada, apoiando o dia a dia dos profissionais e com eles trabalhando o desdobramento de ações da matriz curricular nos projetos político pedagógicos das escolas, seus planos anuais e regimentos.

A Secretaria, portanto, monitora e acompanha cada escola com o objetivo de conhecer em maior profundidade suas necessidades de formação e suas possibilidades de contribuir para a formação das outras unidades, construindo uma rede de solidariedade e cooperação voltada para a inovação pedagógica, a inclusão, a sustentabilidade e a promoção da equidade para todos e cada um de seus estudantes.

Para continuar a leitura, baixe o capítulo Currículo na Educação Integral completo. Nele você encontra as seguintes informações:

  • Educação Integral como política pública 
  • Marcos Legais e a BNCC
    – A BNCC e a Educação Integral
    – O que são as competências gerais indicadas na BNCC?
    – Por que currículos baseados em competências?
    – Tendências mundiais
  • Como definir currículo?
  • Competências gerais, Território e Áreas do Conhecimento
  • Como relacionar escola e currículo?
  • Elementos para articular currículo e território
    – Reconhecer saberes locais
    – Mapear potenciais educativos
    – Definir a intencionalidade pedagógica
  • A importância do território para a elaboração curricular
  • A BNCC, currículos locais e autonomia escolar
  • Autonomia e liberdade das redes de ensino e das escolas
search