Especial
Práticas

Banco de práticas pedagógicas de Educação Integral

O banco incentiva a sistematização e compartilhamento de práticas pedagógicas da escola na perspectiva da Educação Integral, utilizando como fonte as inúmeras iniciativas que se propõem a compilar e disseminar atividades diferenciadas e inovadoras.

O exercício de sistematizar faz com que os professores avaliem, repensem e aprimorem constantemente a sua prática, além de fomentar um olhar para a colaboração entre educadores. Ter acesso a um cardápio de práticas da escola – ou eventualmente da rede municipal/estadual de educação – faz com que os professores possam refletir sobre seu plano para cada turma e, a partir disso, utilizar referências e inspirações para compor o seu planejamento pedagógico.

Atenção!  Esta é uma prática interessante para qualificar e fortalecer as reuniões pedagógicas na escola.

Há uma série de iniciativas que sistematizam práticas pedagógicas e conhecer este levantamento é de suma importância para o aprimoramento constante dos professores. Por outro lado, ter uma sistematização customizada para a escola, bem como o registro das práticas de Educação Integral que já foram realizadas na unidade escolar, torna a proposta ainda mais interessante, pois as iniciativas se integram ao Projeto Político-Pedagógico, estando em acordo com a realidade e o perfil dos alunos deste território em questão.

Como fazer

Planeje

Implemente

Avalie

Institucionalize

Materiais necessários

Aprendendo com quem faz

Banco de Oficinas

Idealizada pela Fundação Itaú Social e sob a coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), a Plataforma Educação&Participação foi criada para ser um ambiente digital de mobilização, formação e produção colaborativa de conhecimento sobre a Educação Integral com base em ações, práticas e metodologias dos programas Prêmio Itaú-Unicef, Jovens Urbanos e Políticas de Educação Integral.

Uma das sessões mais acessadas é o Banco de Oficinas, que reúne sugestões de atividades, dirigidas a educadores de escolas e de organizações não-governamentais, que desenvolvem práticas socioeducativas com crianças, adolescentes e jovens. Tem o objetivo de contribuir na oferta de oportunidades de aprendizagem para ampliar o seu repertório cultural, como garantia de direito, proteção e inclusão social.

Organizadas em sete grupos temáticos, as oficinas são ajustáveis às condições de trabalho e de tempo dos interessados em utilizá-las. Há oficinas que podem ser feitas em um ou mais encontros de cerca de 90 minutos cada. Todas seguem a mesma estrutura e indicam o público a que se destinam: crianças, adolescentes ou jovens, cabendo aos educadores adequá-las ao perfil de sua turma.

Para saber mais

Nesses sites, você encontra outras referências de práticas já sistematizadas: