Apresentação

O especial Educação Integral nas Infâncias: Pressupostos e práticas para o  desenvolvimento e a aprendizagem de crianças de 0 a 12 anos desenvolvido pelo Centro de Referências em Educação Integral, com o apoio do Instituto C&A, apresenta um documento de referência para gestores educacionais e escolares, professores e demais trabalhadores da educação. O site traz ainda um conjunto de experiências ilustrativas e materiais e informações complementares à discussão.

Esperamos que estes recursos, construídos a muitas mãos, possam contribuir com a superação de rupturas e fragmentações que caracterizam muitos dos projetos educativos, buscando a construção de uma educação integral que se faça integradora de espaços, tempos e percursos de aprendizagem potentes e significativos para todos(as) e cada um(a). A começar pelas nossas crianças.

Boa leitura!

Documento de referência

Este documento discorre sobre a potência da Educação Integral na constituição de uma escola que coloca a infância no centro de seu Projeto Político Pedagógico, a despeito da etapa escolar a que se refere.

A aposta é a de que a Educação Integral traz consigo um potencial de transformação da escola como um todo, ao reconhecer as crianças não como seres imaturos, definidos por aquilo que não sabem, mas como sujeitos sociais, produtores de cultura, e em plano de igualdade com outros grupos geracionais, como aponta o próprio texto.

Escolas e Infâncias

Como ilustração do documento de referência “Educação Integral nas Infâncias”, selecionamos 20 experiências de escolas, políticas públicas e iniciativas comunitárias e do 3º setor que respeitam as premissas da educação integral e valorização das culturas e linguagens infantis.

Sem a pretensão de serem receitas prontas ou práticas prescritivas, os relatos buscam inspirar práticas educativas que levem em conta a realidade de cada território e das infâncias ali presentes.

Aprendizagens brasileiras

Escola Municipal Emaús (Camaçari, BA)

A aposta na autonomia dos pequenos e pequenas é a chave para toda organização pedagógica da escola. Nela, a curiosidade das crianças é o ponto de partida das ações cotidianas.

CEMEI Paulo Rosas (Recife, PE)

No centro de educação infantil, bebês e crianças são compreendidos em sua singularidade. A atenção à multidimensionalidade convoca práticas personalizadas e a formação de todos agentes.

CEI Ananda Marga (São Paulo, SP)

O Centro de Educação Infantil aposta em uma proposta pedagógica que integra corpo e mente em todas suas atividades – da alimentação e atividade física à hora de dormir.

EC Brincando e Criando (Camaçari, BA)

Na escola comunitária, a alimentação é um dos focos do projeto pedagógico – tanto em atividades cotidianas com as crianças, quanto para o envolvimento e participação das famílias.

 EE Narciso da Silva Cesar (Araraquara, SP)

Na iniciativa “Brincando conhecemos a África”, as crianças brincam e participam de atividades lúdicas que resgatam a memória, a cultura e a tradição do continente africano.

 EE José Leite de Moraes (Várzea Grande – MT)

Na escola, crianças a partir dos seis anos contam com a música como parte integrante do currículo. A atividade, desenvolvida em uma abordagem lúdica, integra outras áreas do conhecimento.

EMEI Manoel Fiel Filho (São Paulo – SP)

Ao resgatar o nome da escola, crianças e comunidade foram convidadas a resgatar a história do território e a construir sentidos coletivos sobre participação, liberdade e direitos humanos.

EEI Tuxaua Luiz Cadete (Cantá, RR)

Na escola indígena, crianças do ensino fundamental resgatam e discutem os saberes tradicionais de suas tribos, em diálogo profícuo e contínuo com o território.

 EMEI Gabriel Prestes (São Paulo, SP)

Na EMEI Gabriel Prestes, a democracia é construída com as crianças no cotidiano: de saídas e percursos no território a rodas de conversa em que todos têm voz e opinião.

EM Maria do Socorro R. de Castro (Ouricuri – PE)

A escola multisseriada  aposta nos saberes do território: a comunidade, a terra e as identidades das crianças alinhavam as práticas pedagógicas que integram crianças de seis a 11 anos.

EMEI Sonho Azul (São Paulo – SP)

Aprender no, com e o território. Essa é a proposta da escola que aposta na arte, no brincar espontâneo e nas manifestações culturais da comunidade para construir vínculo e pertencimento das crianças.

 CEI Onadyr Marcondes (São Paulo – SP)

Bebês e crianças aprendem diariamente a se conhecer e a reconhecer o Outro. Descobrindo o corpo, os sonhos e  os conhecimentos, as crianças têm suas identidades reconhecidas e valorizadas.

 Quintal das crianças ( São Gabriel e Boa vista de Tupim – BA)

A iniciativa que reúne comunidade e governo criou espaços públicos para o brincar livre, experimentação e exploração das crianças.

EMEF Desembargador Amorim Lima (São Paulo – SP)

A escola investe na autonomia das crianças e em um projeto pedagógico que rompe com a seriação e a organização escolar do conhecimento.

 

Inspiração que vem de fora

 

Aprender em Família (Chile)

Programa, desenvolvido em parceria entre escolas, governo e 3º setor desenvolve estratégias para aproximação dos familiares no cotidiano das crianças.

San Miniato (Itália)

A rede de San Miniato, na Itália, investe na construção das relações de confiança entre educadores e crianças, acreditando no potencial do  vínculo no processo pedagógico.

Reggio Emilia (Itália)

Considerada a melhor experiência pedagógica do mundo, a proposta que hoje é da rede municipal da região investe na valorização das “100 linguagens” da criança.

 

Acesse mais experiências no Banco de Experiências do Centro de Referências em Educação Integral.

Referências complementares

A fim de apoiar a contínua construção de uma escola que valorize e sustente as identidades e culturas das infâncias, selecionamos uma série de materiais e textos complementares. Todos os recursos são gratuitos e  disponíveis para acesso digital.

Materiais de referência

Paralapracá

Metodologia aprovada pelo Guia de Tecnologias Educacionais do MEC, desenvolvida pela Avante – Educação e Mobilização Social, com o apoio do Instituto C&A.  Os materiais desenvolvidos pela iniciativa e disponíveis para download têm conexão direta com o posicionamento defendido no documento de referência. Partindo dos saberes e do cotidiano das creches e pré-escolas, assim como das próprias crianças, o documento apoia a construção e implementação de ações educativas para a Educação Infantil. Contudo, sua proposta pode ser referência também para o trabalho no Ensino Fundamental, aproximando as etapas e o direito à infância.

 

Práticas Pedagógicas para a Educação Integral

O Centro de Referências em Educação Integral, com o apoio de diversos parceiros, elaborou este conjunto de materiais que chega às suas mãos com a proposta de trazer subsídios, ferramentas e dicas para que você possa implementar práticas pedagógicas que favoreçam o desenvolvimento integral dos estudantes. As práticas foram elaboradas com base em experiências concretas realizadas por escolas e organizações que atuam para a promoção da Educação Integral em todo o país. Elas valorizam o contexto dos estudantes, propõem formas inovadoras de trabalhar conteúdos e consideram o território como um importante espaço de aprendizagem.

Escolas em Rede: Experiências de Articulação e Fortalecimento do Sistema de Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente

Publicação e  vídeo apresentam práticas exitosas da integração de escolas com o Sistema de Garantia de Direitos das Crianças e Adolescentes. As práticas, de escolas da rede municipal de São Paulo, são organizadas nas seguintes temáticas: relação com os  equipamentos locais, participação política das crianças e adolescentes e jovens e proposta curricular inovadora.

A criança e o espaço: a cidade e o meio ambiente

Plataforma desenvolvida pela Rede Nacional de Primeira Infância (RNPI) e parceiros reúne informações, sugestões e histórias para inspirar gestores públicos na elaboração dos Planos Municipais pela Primeira Infância, com foco na adequação dos espaços nas cidades, para viabilizar o bom desenvolvimento infantil até os 6 anos.

Banco de materiais do Movimento Interfóruns da Educação Infantil do Brasil (MIEIB)

A plataforma reúne os principais marcos legais  da educação infantil e publicações de apoio à gestão pública com foco no desenvolvimento integral das crianças.

Aluno Presente

A iniciativa Aluno Presente, da Associação Cidade Escola Aprendiz, em parceria com a Fundação Education Above All e a Prefeitura do Rio de Janeiro, desenvolveu uma metodologia inédita para identificar mais
de 23.200 crianças e adolescentes fora da escola ou em risco de
evasão e inserir 21.004 delas na rede municipal de educação da cidade. Como fruto dessa experiência, foram produzidos um guia com a sistematização da metodologia para gestores públicos, um livro de narrativas do programa e uma coleção de vídeos que narram a experiência.

Banco de oficinas 

Desenvolvido pelo Educação & Participação, o Banco de oficinas reúne diferentes metodologias desenvolvidas por escolas e organizações da sociedade civil que apoiam o desenvolvimento integral das crianças. Como foco em diferentes faixas etárias, a iniciativa reúne práticas organizadas por temáticas.

Território do Brincar

Programa correalizado pelo Instituto Alana reúne materiais, registros e pesquisas para a difusão das culturas infantis. A plataforma reúne textos, vídeos e fotos que apoiam gestores e educadores na garantia do brincar e das expressões e linguagens das crianças.

Diário de Inovações

A seção do site Porvir, do Instituto Inspirare, reúne práticas de professores que inovam cotidianamente em suas salas de aula. Com foco a diferentes etapas da educação, as práticas podem ser adaptadas e trabalhadas como referência para o cotidiano das crianças.

Textos complementares

Centro de Referências:

Por que integrar o brincar ao processo educativo das crianças?

Desvendando o PNE: os desafios da meta 1

Em debate: Escolarização da educação infantil – avanço ou retrocesso?

Como abordar a temática de gênero na primeira infância?

Brinquedotecas e salas de leitura: espaços de aprendizado insubstituíveis

Afinal, o que os brasileiros precisam saber?

20 filmes que exploram o olhar das crianças sobre o mundo

Livros para todas as etapas do desenvolvimento de crianças e adolescentes

Ministério da Educação:

Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil

História e cultura africana e afro-brasileira na educação infantil

TEIA – Territórios, Educação Integral e Cidadania (UFMG):

Anais do I Seminário Internacional de Educação Integral: observando realidades e construindo compromissos – 2015

 

 

Expediente

O Especial “Educação Integral nas Infâncias foi construído por um grupo de especialistas convidados pelo Centro de Referências em Educação Integral, com o apoio do Instituto C&A.

Educação Integral nas Infâncias
Pressupostos e práticas para o desenvolvimento e a aprendizagem de crianças de 0 a 12 anos

Realização: Centro de Referências em Educação Integral

Parceria: Instituto C&A

Coordenação: Agda Sardenberg

Edição: Agda Sardenberg e Julia Dietrich (Cidade Escola Aprendiz)

Redação: Levindo Diniz Carvalho e Rogério Correa da Silva (Faculdade de Educação – UFMG)

Comitê Técnico: Maria Thereza Marcílio (Avante), Rita Coelho e Vital Didonet (RNPI).

Especialistas consultados: Agda Sardenberg | Ana Mello (Fórum Municipal de Educação Infantil de São Paulo)| Andréia Botelho de Rezende (Escola de Aplicação da USP)| Andressa Pellanda (Campanha Nacional pelo Direito à Educação e Rede Nacional Primeira Infância)| Adriana Oliveira (Unifesp)| Beatriz Goulart (Cenários Pedagógicos e Centro de Referências em Educação Integral)| Beatriz Ferraz (Movimento Nacional pela BNCC)| Bruna Ribeiro (MOVE – Avaliação e Estratégia em Desenvolvimento Social)| Camila Oliveira (Cidade Escola Aprendiz e Centro de Referências em Educação Integral)| Claudia Santos (Projeto Âncora)| Cristina Nogueira (Instituto Singularidades)| Edilene Cristine Morikaw (Projeto Âncora)| Elvira Souza Lima| Flávia Silveira(Cidade Escola Aprendiz e Centro de Referências em Educação Integral)| Gabriel Lima Verde (Instituto Alana)| Gilvania Nascimento (UNCME)| Kelly Santos (Escola de educadores)| Janine Ribeiro (Instituto C&A e Centro de Referências em Educação Integral)| Maria Carmem Silveira Barbosa (UFRGS)| Mariana Antonieta Prado (Instituto Alana)| Natacha Costa (Cidade Escola Aprendiz e Centro de Referências em Educação Integral)| Patrícia Lacerda (Instituto C&A e Centro de Referências em Educação Integral)| Peterson Rigatto – MIEIB| Sonia Larrubia| Stela Barbieri.

Publicação: Julho/2017