Ensino e Aprendizagem > GAME DOS INVERTEBRADOS

GAME DOS INVERTEBRADOS

Criando jogos, os estudantes aprendem e exercitam a imaginação.

Compartilhe a prática:

Plantão Pedagógico

X

Prática elaborada por Amanda Otsuka, professora de Biologia, e Fernando Fernandes, professor de Multimídia, do NAVE Recife

PLANO DE VOO

O pepino-do-mar é um equinodermo ou um molusco? Os insetos respiram da mesma maneira que os aracnídeos? Com tantas informações, os conteúdos sobre os animais invertebrados são desafiadores. Para facilitar e ir além de decorar número de patas e outras especificidades, elaborar um jogo de cartas pode ajudar no processo de associação de informações e, por ele ser utilizado como uma linguagem, também trabalha a competência de Comunicação, prevista na BNCC.

Ao explorarem os jogos, além de conhecerem o conteúdo de Biologia, os estudantes também são convidados a exercitar sua imaginação e criatividade. Nesta prática, eles criam games inteiramente originais ou elaboram algo novo baseado nos já existentes, como o Super Trunfo ou Jogo do Milhão.

“Os estudantes também tiveram a oportunidade de conhecer o Design Thinking e realizar uma apresentação em forma de pitch [apresentação rápida] para vender a ideia do jogo, habilidades essenciais para o mercado de hoje”, conta Fernando Fernandes, um dos professores idealizadores.

Crédito: Carlos Fernando - Guanabaratejo
1 / 1

Pilotando

1. Trabalhando por meio do Design Thinking

Em nove aulas, os alunos elaboram seu projeto por meio do Design Thinking. Após as pesquisas, eles definem qual jogo montar, e depois fazem a ideação, produzindo os primeiros rascunhos. Em seguida, constroem um protótipo e testam o jogo com outros alunos, para depois entregar um produto final.

2. Um jogo para o meu filo

Cada grupo de alunos deve ficar responsável por um filo. Nas primeiras três aulas, eles devem pesquisar as principais características sobre um grupo de animais, e escolher ou desenvolver um jogo de cartas que dê conta de abordar essas informações. Os estudantes então devem elaborar a arte das cartas, o manual e uma versão para ser impressa.

3. Exemplo de jogo possível

Inspirado no jogo de blefe Coup, os alunos podem substituir os personagens por diferentes anelídeos, e seus poderes por suas características: o sanguessuga pode virar o assassino de capa e chapéu, e as moedas podem ser nutrientes. O importante é garantir as informações sobre o filo em um dos tópicos do manual do jogo e que a narrativa e a arte do jogo sejam coerentes com as características dos animais.

4. Avaliando o processo

Quando os jogos estiverem prontos, os grupos devem apresentar seu projeto em uma fala de dois minutos. Em seguida, a turma deve se revezar para jogar os jogos dos demais grupos, e avaliar a arte, informações, criatividade e mecânica de cada um deles. Ao final, o professor avalia o conteúdo, o design e a evolução do trabalho de cada grupo.

Equipagem

Compartilhe: