experiências

Montpelier Public Schools estimula estudantes a intervirem positivamente nas comunidades

Com informações do Edutopia

Iniciativa: Montpelier Public Schools

Pública ou privada: Pública

Descrição: “Os alunos são capazes e motivados a contribuir com a comunidade em âmbito local, nacional e mundial”. O lema traduz a principal tônica do ensino e aprendizagem da Montpelier Public Schools, localizada no estado norte-americano de Vermont, que visa promover conexões entre os conhecimentos para que eles se estruturem a partir de uma relação significativa.

O trabalho parte do conceito de sustentabilidade, bastante presente na instituição. O objetivo é que os alunos transitem pelas diversas disciplinas com uma capacidade de leitura ampla da realidade que considere os contextos sociais, ambientais e econômicos. Para o corpo docente, essas conexões interdisciplinares são fundamentais para apoiar a compreensão dos alunos sobre o mundo em que vivem e, consequentemente, a aprendizagem.


Vídeo sobre as práticas escolares da Montpelier Public Schools (em inglês).


A sustentabilidade na prática

Esse movimento de pensar o currículo escolar em diálogo com a sustentabilidade e, assim, ampliar as oportunidades educativas dos alunos, veio dos próprios professores.
Inicialmente, um grupo de educadores se reuniu de forma voluntária para pensar como a temática poderia ser integrada às discussões em sala de aula. Desse esforço coletivo saíram dois entendimentos: de que a comunidade escolar tinha o desejo de transformar a instituição em um modelo de sustentabilidade e que a questão alimentar poderia ser um bom norte para o início dos trabalhos.

Para tanto, a escola começou a se organizar para pleitear a construção de uma estufa em suas dependências, etapa para a qual contou com a participação de financiadores locais e nacionais. Depois disso, a instituição começou a se articular com instituições que já tinham uma agenda sustentável para entender quais condutas seriam necessárias para o dia a dia escolar.

Aprendizagens obtidas na estufa são articuladas pelas demais disciplinas. Créditos: Edutopia
Aprendizagens obtidas na estufa são articuladas pelas demais disciplinas. Créditos: Edutopia

Com o passar do tempo a escola passou a ser reconhecida por outras instituições de ensino que também tinham o interesse de promover conhecimentos sobre sustentabilidade entre seus alunos. A projeção foi tamanha que o distrito de Vermont tornou-se referência e integrante do núcleo alimentar local. Atualmente, as atividades da estufa são mantidas a partir da venda dos produtos no comércio local. O dinheiro é utilizado na manutenção do próprio sistema, na aquisição de sementes e de outros suprimentos.

A ancoragem curricular

Da estufa partem os conhecimentos que, posteriormente, são abordados pelos professores nas diversas disciplinas. Em Biologia, por exemplo, os alunos são estimulados a aprender sobre o ciclo de nutrientes, a Fisiologia e Anatomia Vegetal, bem como a biosfera, a transferência de energia e nutrientes de reciclagem. Na Economia, o olhar é para a estufa enquanto unidade produtiva, seus benefícios para comunidade, as despesas que implicam sua manutenção. Na Física, os estudos se voltam para os painéis solares – construídos também pelas turmas – com o propósito de entender se essa energia é suficiente para a estufa e o quanto dela é utilizada.

Há também as aulas de Aplicação em que os estudantes são estimulados a pensar a sustentabilidade a partir de um contexto macro, incluindo população, áreas climáticas, gestão de resíduos, redução da camada de ozônio e outras condicionantes. Eles também têm a oportunidade de se aproximar da estufa, estudarem o solo e sugerirem um plano de gestão para que as próximas turmas possam seguir.

Todo o trabalho é direcionado pelas expectativas de aprendizagem pré definidas pela escola e que se assentam nas seguintes dimensões curriculares: Leitura, Escrita, Comunicação, Resolução de Problemas, Hábitos de Aprendizagem, Cidadania e Pensamento Criativo. O percurso educativo é trilhado a partir das seguintes disciplinas: Educação para o Trânsito, Inglês, Artes, Matemática, Educação Física/Saúde, Ciências, Estudos Sociais, Tecnologia e Linguagens. Ainda são ofertadas atividades esportivas e teatrais.

O aluno é central no processo de ensino aprendizagem e há um cuidado para que a educação abarque a sua integralidade, em um ambiente sustentável, seguro, e que estimule a autonomia e a solidariedade.

Envolvimento comunitário

Alunos pintam ciranda de parque em projeto de intervenção na comunidade. Créditos: reprodução
Alunos pintam ciranda de parque em projeto de intervenção na comunidade. Créditos: reprodução

O processo educativo, no entanto, não é delimitado pela área escolar e frequentemente extrapola esse espaço. A Montpelier Public Schools mantém em seu programa o curso “Aprendizagem Baseada na Comunidade”, que realiza uma aproximação entre a instituição escolar e a comunidade em que ela está inserida. Nesse programa, os alunos podem participar de projetos em instituições locais para que ampliem suas habilidades acadêmicas e, em contrapartida, contribuam com a transformação local. A lógica do “aprender fazendo” transforma a comunidade em uma extensão da sala de aula.

A atividade, de caráter eletivo, se configura como um mini estágio a partir do próprio interesse ou vocação do estudante. As horas de estudo junto à comunidade são acompanhadas por um professor da escola para que ele possa fazer a mediação dessas aprendizagens e apoiá-lo na reflexão desses conhecimentos.

“Eu tive o prazer de trabalhar com os alunos, professores e parceiros da comunidade, ajudando a desenvolver e cultivar conexões entre os interesses dos estudantes, o currículo da escola e a grande variedade de oportunidades de aprendizagem que existem para além dos muros da escola. Acho meu trabalho tremendamente gratificante e fico sempre espantado de ver como é generoso o trabalho da Montpelier e das comunidades centrais de Vermont de envolver os alunos nesse tipo de trabalho”. (Matt McLane)”Desde 2005, eu tive o privilégio de conectar os alunos com a comunidade, tanto na questão do trabalho quando de outros contextos de aprendizagem. Nada poderia ser mais gratificante do que apoiá-los em compartilhar seu tempo e talentos com os outros; eles não só podem vislumbrar suas funções e responsabilidades, mas também se entenderem capazes de promover diferença na vida de outras pessoas. Igualmente emocionante, para mim, é ajudar os alunos a buscarem seus interesses, vocacionais ou não, em estágios na comunidade”. (Brooke Pearson)Relatos de professores extraídos do site da Montpelier Public Schools.

Formação docente

O repensar das práticas pedagógicas passa necessariamente pelos professores. Nesse contexto, a formação continuada é a estratégia utilizada para que eles se apropriem dos conhecimentos sobre sustentabilidade e consigam estabelecer essas relações em suas atividades cotidianas. O curso, de dez semanas, oferece certificação aos educadores e um crédito de pós-graduação em alguma instituição local, após sua conclusão.

Local: Vermont (EUA).
Responsáveis: Montpelier Public Schools

Principais resultados

Ao ampliar as oportunidades educativas de seus alunos e encorajá-los a trilhar esse percurso em parceria com a comunidade, a Montpelier Public Schools valoriza a autonomia desses jovens e favorece uma postura cidadã, com olhar para o próprio território do qual fazem parte. Pelas práticas, a instituição foi considerada uma escola de sucesso pela National Center for Learning and Citizenship, além de ingressar grande parte de seus estudantes no ensino superior.

Contato:
Union Elementary School
1 Park Avenue
Montpelier, VT 05602
(802) 225-8200
Fax: (802) 223-9219
Site: http://www.mpsvt.org/index.php/ues