experiências

Escola do Ceará integra disciplinas da base e de curso técnico em jornada ampliada

Dimensão: Currículo Transversal

Instituição envolvida: Escola Estadual de Educação Profissional selo_curriculo2(EEEP) Padre João Bosco

Lugar: Mauriti, Ceará

Público alvo: estudantes do ensino médio

Iniciativa: pública

Duração: desde 2009

Educação integral não pode significar apenas a ampliação da jornada escolar com um currículo que ofereça mais do mesmo para os seus estudantes. Partindo dessa premissa, a Escola Estadual de Educação Profissional (EEEP) Padre João Bosco, de Mauriti (CE) procura misturar os componentes curriculares da base com matérias técnicas. A iniciativa se insere dentro do programa estadual de educação integral.

Saiba + Ceará foca em programa de educação integral profissionalizante

Na unidade são oferecidos os seguintes cursos técnicos: Agropecuária, Enfermagem, Desenho de Construção Civil e Informática.

Ao longo do dia, os estudantes podem ter aulas de Matemática, seguida por uma aula do curso técnico, outra de Esporte e um espaço dedicado ao estudo. Dessa forma, o horário não está dividido de forma fragmentada.

“Aqui não existe um período ‘chato’ e um período ‘legal’, um momento em que eles estudam as matérias da base e outro em que aprendem as do curso técnico. Isso foi pensado como um intencionalidade que é dizer ao estudante que todas disciplinas são igualmente importantes para o seu desenvolvimento integral”, afirmou Júlio César, diretor da unidade.

Acompanhamento

Outra estratégia adotada pela escola foi a criação da figura do diretor de turma. Cada uma das 11 salas tem um professor que faz um acompanhamento minucioso, identificando os problemas coletivos e individuais dos alunos. Existe um espaço de 2 horas por semana reservado para esse encontro.

sertao_delicias
Estudantes em atividade com a comunidade

Nesse espaço, os estudantes podem relatar suas dificuldades de aprendizagem, avaliar a escola, contar sobre a família e sobre seus colegas. A partir desse diálogo nascem possíveis intervenções e orientações no sentido de ajudá-los a lidar com alguma dificuldade pela qual estejam passando.

“Esse espaço é fundamental porque é um canal pelo qual todos expõem seus problemas e críticas com relação à escola, o que é essencial para a resolução de problemas e para avançar. Além disso, não é possível tratar o aluno como um ser que só estuda, ele tem um contexto social e familiar que precisa ser levado em conta no processo de ensino-aprendizagem”, afirmou o diretor.

Primeiro ano

Quando os estudantes entram na escola, passam por processo que busca nivelar o conhecimento. Esse processo acontece durante todo o primeiro ano do ensino médio e é diferente para cada estudante, pois é pensado de acordo com as dificuldades de cada um.

“Com esse processo diminuímos muito os índices de evasão porque se o aluno assiste a uma aula e não entende, começa a se desinteressar, o que é um primeiro passo para a evasão”, conta Júlio.

Conforme o diretor, muitos alunos chegam à escola com deficiências de aprendizagem do ensino fundamental. “Alguns não sabem nem fazer as quatro operações matemáticas básicas e têm dificuldades muito grandes de leitura”, afirmou.

Depois de seis anos de funcionamento, o colégio colheu os frutos e foi apontado pelo Instituto de Pesquisas e Estudos Educacionais Anísio Teixeira (Inep) como a melhor escola do Brasil, de acordo com os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Contato: (88) 3552-1344

Saiba mais e acesse outros materiais sobre a dimensão Currículo Transversal no guia Educação Integral Na Prática.