publicado dia 01/10/2014

Por meio de fotos, crianças com deficiências se aproximam de seus sonhos

por

Quem nunca sonhou em mergulhar nas profundezas do mar? Ou qual criança nunca fantasiou ser princesa ou um atleta famoso? E quem nunca se imaginou como bailarina ou um médico salvando vidas? Os sonhos de infância às vezes se realizam, mas, na maioria das vezes, permanecem como sonhos, sempre difíceis de alcançar. A realidade pode ser ainda mais dura para aqueles que nasceram com alguma deficiência física ou intelectual. Como rodopiar na ponta dos pés quando se está em uma cadeira de rodas?

Com o intuito de aproximar crianças, adolescentes e jovens deficientes de seus sonhos, o fotógrafo João Fábio Matheasi criou o projeto Realizando Sonhos, em parceria com a APAE de Andradas (MG). Na iniciativa, o fotógrafo cria cenários a partir dos sonhos e desejos das crianças. Deitadas sobre os cenários e fotografadas do alto, a criança parece estar realizando a atividade.

Foto: João Fábio Matheasi

Foto: João Fábio Matheasi

“Cada aluno tem uma história e um sonho. Eu converso com os familiares, com os professores ou com fisioterapeutas para entender mais sobre a criança. Alguns conseguem falar e dizer seus sonhos como mergulhar ou ser cantor de hip hop”, explica Mathease.

Ao ver o resultado das fotos, as crianças se surpreendem e muitas mudam a visão que têm de si mesmas. “Tive um retorno de que alguns fotografados passaram a se sentir mais incluídos e com uma melhoria na autoestima”, relata. “É tudo uma questão de ângulo.”

A discussão coincide com a apresentada pela 12ª Semana de Ação Mundial que neste ano trouxe a bandeira da educação inclusiva. O lançamento oficial aconteceu no dia 23 de setembro em Brasília, mas as atividades foram realizadas por todo o país de forma independente. A proposta é que o que se iniciou na semana permaneça como agenda integrada dos sistemas educacionais.

As reflexões geradas pelo ensaio fotográfico ultrapassam àqueles com deficiência. “Tinha uma garota que o sonho dela era voar e passei a refletir até que ponto vai a nossa limitação. Eu também não posso voar! Com o ensaio passamos a discutir as limitações que todos temos”, avalia.

O trabalho, inspirado em um ensaio do fotógrafo esloveno Matej Peljhan, foi realizado primeiramente na APAE de Andradas e depois na APAE de Poços de Caldas, ambas em Minas Gerais. Com os ensaios, Matheasi realizou algumas exposições e recebeu outros convites para repetir as fotos.

Confira a seguir algumas imagens do trabalho do fotógrafo. Mais ensaios podem ser encontrados na página do profissional no Facebook.

apae_skate_joao matheasi (2)

 apae_bailarina_joao matheasi

apae_skate_joao matheasi (3)

apae_corda

apae_mergulho_joao matheasi

 

10 filmes para abordar a inclusão de pessoas com deficiência