publicado dia 17/03/2016

ONU Mulheres lança currículo de gênero para conscientização em escolas

por

Com informações da ONU Mulheres

valente_escola_sem_machismoPor meio da iniciativa “O Valente não é Violento”, que atua pelo fim de estereótipos de gênero e comportamentos machistas, a ONU Mulheres lança um currículo para conscientizar meninos e meninas sobre o direito das mulheres de viverem uma vida livre de violências e descriminações.

Veja aqui a proposta de currículo.

Além do currículo, também são ofertados seis planos de aula com as seguintes abordagens: Sexo, gênero e poder; Violências e suas Interfaces; Estereótipos de Gênero e Esportes; Estereótipos de Gênero, Raça/Etnia e Mídia; Estereótipos de Gênero, Carreiras e Profissões: Diferenças e Desigualdades; Vulnerabilidades e Prevenção.

A proposta parte do reconhecimento das instituições de ensino como espaços privilegiados para uma formação de meninos e meninas para o exercício da cidadania, considerando seu papel central na promoção de mudanças sociais.

A elaboração do currículo, segundo a ONU Mulheres, levou em consideração os marcos legais e políticos que apontam para a necessidade da inclusão de discussões desses temas no espaço escolar e de experiências de trabalho capitaneadas pelas políticas públicas e por organizações da sociedade civil.

O programa também considera as diretrizes do Plano Nacional de Políticas para as Mulheres (PNPM 2013-2015), que apontam para a necessidade de promover a inserção de temas voltados para a igualdade de gênero e valorização das diversidades nos currículos, materiais didáticos e paradidáticos da educação básica. O PNPM destaca entre os seus objetivos a necessidade de “consolidar na política educacional as perspectivas de gênero, raça, etnia, orientação sexual, geracional, das pessoas com deficiência e o respeito à diversidade em todas as suas formas, de modo a garantir uma educação igualitária e cidadã”.

Para a ONU Mulheres, a inclusão de discussões sobre as temáticas de gênero nos currículos é necessária para a formação de professoras e professores do ensino médio, favorecendo análises e processos de reflexão sobre as desigualdades de gênero, étnico- racial e geracional, bem como diversidade sexual, identidade de gênero e violências.

Educadoras, educadores e organizações que quiserem saber mais sobre o currículo da ONU podem entrar em contato pelo email ovalentenaoeviolento@gmail.com

13 filmes para debater diversidade sexual e de gênero