publicado dia 13/07/2018

“Máquina de livros” visita cidades do país para estimular leitura

por

Por Helena Martins, da Agência Brasil

A mágica acontece diante dos pequenos olhos de Catarina Costa, 6 anos. Livros já lidos são transformados em outros, a partir do momento em que ela insere uma obra em uma “máquina de livros”. A experiência chamou a atenção da menina, que já sabe o alfabeto e está aprendendo a juntar as letras. Agora, a vontade de aprender a formar palavras e, a partir disso, mergulhar no universo das histórias aumentou. “Vou ler todos”, disse, segurando nas mãos as obras que ganhou hoje.

Leia + Quatro estratégias de ensino para promover a leitura

Catarina é uma das brasilienses que podem trocar livros no projeto Incrível Máquina de Livros. A van transformada em atrativo lúdico permite o depósito e a entrega imediata dos livros, chamando a atenção de quem passa pela Biblioteca Nacional pelas cores e luzes que ostenta. Organizador da iniciativa, Ricardo Martins conta que o objetivo é incentivar a cultura e, indo além da cultura digital e da dependência de tablets e smartphones, “tirar um pouquinho desse mundo tecnológico e tentar resgatar a paixão pela leitura através do livro físico”.

A inovação tem um objetivo: fazer do encontro com os livros parte do cotidiano. “A gente tentou fugir também de feiras convencionais, onde os livros ficam expostos. [Aqui] é uma forma lúdica, interativa, voltada para as pessoas que estão nas ruas, totalmente gratuita, para que elas possam vir trocar seus livros”, informa Martins. Para participar, é simples: basta trazer para troca livros de literatura em bom estado de conservação.

Van “Máquina de livros"

Van “Máquina de livros” faz troca de livros no Museu da República, em Brasília. Da máquina, saem capas coloridas, obras ilustradas, literatura de todos os tipos. É possível escolher entre obras para crianças ou para pessoas mais velhas.

Crédito: abio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Da máquina, saem capas coloridas, obras ilustradas, literatura de todos os tipos. E ainda é possível escolher entre obras para crianças ou para pessoas mais velhas. Com 12 anos, Isadora Costa se diz apaixonada por livros desde os 8 anos. “Meu pai sempre gostou muito de ler e tinha livros em casa, aí ele me emprestou e disse que, se eu gostasse, poderia pegar outro. Aí adorei, peguei mais; adorei, peguei mais. Aí comecei a amar os livros a partir daí. Todo dia eu leio um pouquinho, não importa qual o livro”, conta.

O projeto é da Infinito Cultural e iniciada em São Paulo, no ano passado, com “o maior sucesso”, segundo Martins. A partir de então, com o apoio do Ministério da Cultura, os organizadores projetaram a expansão da iniciativa. A mesma van que promove a “mágica” leva a equipe de três pessoas para diferentes cidades do país. Brasília é a décima visitada por eles. A expectativa é de que sejam atendidas, ao todo, 21 cidades de 13 estados, perfazendo mais de 16 mil quilômetros rodados.

Depois do Distrito Federal, o projeto segue para Porto Alegre, Florianópolis, Blumenau (SC), Curitiba, Londrina (PR), São Paulo, Guarulhos (SP), Campinas (SP), Barueri (SP), São Bernardo do Campo (SP) e Ribeirão Preto (SP). A lista das cidades que serão visitadas e mais informações podem ser conferidas no perfil do projeto em rede social.

Autores da língua portuguesa que versaram sobre a literatura infantil