publicado dia 20/06/2016

Foco central no estudante é consenso em formação sobre a BNCC

por

“Foco central nos sujeitos de aprendizagem é chave para a Base Nacional Curricular Comum.” A premissa foi consenso entre os palestrantes que participaram da atividade de formação para a realização dos seminários sobre a BNCC. Organizada pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e pela União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), a atividade, que teve início hoje (20/6) e segue até amanhã, reuniu técnicos e dirigentes de ensino que irão apoiar os 26 estados e Distrito Federal na realização de seminários de debate sobre a 2ª versão do documento.

Saiba +:   Segunda versão da Base começa a ser discutida nos Estados em junho

Especialistas convidados
Textos Introdutórios: Natacha Costa (Aprendiz / GT Desenvolvimento Integral)
Linguagens: Delaine Bicalho (UFMG/Leitora Crítica do MEC)
Matemática: Katia Smole (Mathema)
Ciências da Natureza: Ghisleine Trigo (SEE-SP)
Ciências Humanas: Gabriella Pellegrino (USP/ Anpuh)
Etapas
Educação Infantil: Beatriz Ferraz (FMCSV) e Tizuko Kishimoto (USP)
Ensino Fundamental: Anna Helena Altenfelder (Cenpec)
Ensino Médio: Ricardo Cardoso (MEC)

Além de apresentar a estrutura-base dos seminários, neste primeiro dia, foram realizadas mesas-redondas que discutiram os avanços e desafios ainda presentes na proposta. Nestas, os especialistas convidados afirmaram que a segunda versão do texto avançou ao garantir a centralidade dos estudantes e não dos conteúdos, partindo dos direitos de aprendizagem e desenvolvimento, seguindo para as etapas e áreas do conhecimento, chegando, então  aos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento dos estudantes.

“Na discussão, demos ênfase à defesa de que a formação integral deve ser o compromisso ético da base, compromisso que orienta todos os seus elementos”, afirmou Natacha Costa, diretora da Associação Cidade Escola Aprendiz, e responsável pela articulação do Centro de Referências em Educação Integral representou o GT Desenvolvimento Integral, ligado ao Movimento pela Base. Os especialistas das áreas do conhecimento e etapas de educação também detalharam os pontos-chave da construção e destacaram as expectativas para a redação final do texto.

Amanhã, os participantes terão acesso a uma proposta de metodologia para a realização das atividades estaduais, a fim de garantir a participação de diferentes representantes das redes municipais e estaduais de ensino.

Seminários Estaduais

A proposta é que durante os seminários estaduais, os participantes possam sugerir alterações a serem compiladas em um relatório que se configurará na proposta do estado para a Base Nacional Comum.

A expectativa é reunir, entre 23 de junho e 4 de agosto, contribuições de mais de 7 mil pessoas, entre professores, estudantes e representantes da sociedade.

Leia também: Formação integral é foco da proposta formativa em nova versão da BNCC

Com informações da Undime

Em nenhum país, Base Nacional Comum Curricular foi discutida pelo Congresso