publicado dia 06/06/2017

Serviço entrega conteúdos sobre educação por WhatsApp

por

A rotina da professora de Língua Portuguesa, Maria Eduarda Gomes, é agitada. Ela passa todas as suas manhãs e tardes em sala de aula lecionando para o 7º ano da Escola Estadual Hélio Palma de Arruda em Cuiabá (MT). Tempo livre só durante o almoço, horário que dedica, especialmente, para se informar. “Rotina de professor é muito pesada, então essa é a única hora que eu tenho para acompanhar as notícias”, conta

Nos últimos meses, Maria Eduarda tem se atualizado sobre educação por meio de uma plataforma que jamais imaginaria: o WhatsApp. A professora é assinante do Drops Caindo no Brasil, serviço pago que reúne e envia semanalmente vídeos, podcasts e textos em PDF sobre o tema.

Os materiais são exclusivos e trazem conceitos, ferramentas e experiências educacionais Brasil afora

“É uma leitura objetiva que ao mesmo tempo é reflexiva e me deixa com vários pontos de interrogação. Sempre vou para a aula pensando em alguma coisa”, conta a professora, que conheceu o projeto pelo Facebook.

Oferecer um conteúdo rápido e informativo sobre educação era justamente o propósito de Caio Dib, jornalista criador do serviço.

“Minha ideia era criar alguma solução para educadores e interessados em educação aprenderem mais sobre alternativas educacionais de maneira rápida, a caminho do trabalho, por exemplo, e referências práticas que eles pudessem aplicar em sua realidade”, conta.

Os materiais são exclusivos e trazem conceitos, ferramentas e experiências educacionais brasileiras. “Também queria jogar luz sobre as boas práticas que estão transformando a educação, mas estão escondidas”, explica Dib, que já viajou por mais de 58 cidades brasileiras em busca de ações educacionais inovadoras.

Os drops são enviados para os assinantes por meio da rede social de comunicação WhatsApp. A escolha por esse veículo envolveu uma série de critérios, entre eles, o custo.

O desenvolvimento de um aplicativo próprio envolveria altos investimentos tanto para a equipe quanto para os assinantes. Usar uma plataforma já existente resolveu a questão. Além disso, a rede é amplamente utilizada pelos brasileiros.

Cinco meses após o lançamento, os drops estão presentes em mais de 100 cidades brasileiras, 6 países, e conta com 450 assinantes, que são em sua maioria professores da Educação Básica e profissionais do terceiro setor.

Tecnologia acessível

Outro ponto crucial foi garantir que a ferramenta fosse acessível. Os conteúdos requerem internet baixíssima, o que permite que circulem por regiões mais remotas do País. “Conseguimos chegar onde a internet é incipiente. Os Drops Caindo no Brasil são acessíveis, inclusive, no custo, pois queremos que cada vez mais pessoas consigam entrar em contato com alternativas de educação”, explica o jornalista. Há pacotes mensais a partir de 5 reais.

O objetivo é fugir do eixo Rio-São Paulo e chegar a cidades distantes, onde o acesso a novidades e informações, por vezes, é limitado. “Há lugares com professores incríveis que querem fazer mudanças, testar inovações em sala de aula e, muitas vezes, eles não encontram ferramentas e caminhos para isso. Os drops foram criados pensando especialmente nesses professores transformadores”.

Protagonismo estudantil é chave para transformar a educação