Publicado dia 25/11/2014

Diagnóstico socioterritorial na Educação Integral

O termo diagnóstico socioterritorial carece de uma definição conceitual precisa, mas assim como outras pesquisas sociais, é uma forma de conhecimento, descrição, análise e compreensão da realidade, que aponta potencialidades e obstáculos, produzindo um conhecimento estratégico voltado à ação, à intervenção de alguém ou grupo de pessoas sobre uma determinada questão em um determinado território.

Acesse aqui um exemplo de diagnóstico socioterritorial, aplicado e sistematizado em três territórios da cidade de São Paulo (SP).

Para cumprir seu objetivo, o diagnóstico socioterritorial deve ser formado a partir de leituras que não separam as medidas sociais das territoriais e que tratam o território como um plano de referência e não como um objeto, com análises que sejam capazes de incorporar a dimensão da vida das pessoas, os fluxos, as relações, os processos.

Projeto Educativo Local (PEL)

“O PEL pode ser definido como o instrumento de realização de uma política educativa local, que articula as ofertas educativas existentes, os serviços sociais com
os serviços educativos, promove a gestão integrada dos recursos e insere a intervenção educativa numa perspectiva de desenvolvimento da comunidade.”

Maria Beatriz Canário, Construir o projeto educativo local: Relato de uma experiência.

E é por ter estas características que o diagnóstico socioterritorial é uma etapa fundamental para a consolidação de um território que garanta o desenvolvimento integral de suas crianças, adolescentes, jovens e adultos. Tendo como ponto de partida, informações e análises sobre a região construídas participativamente, escolas e comunidades podem formular um projeto educativo para todos, que ao ser embasado na realidade local pode alcançar melhores resultados.

Um diagnóstico socioterritorial com este objetivo deve lançar um olhar específico para o território, observando e avaliando as condições das escolas para desenvolver ações voltadas à educação integral; investigando as principais características da rede intersetorial; buscando entender quem são, como vivem e como pensam as crianças, adolescentes e jovens do território e identificando as instâncias de participação com pautas relacionadas à infância, adolescência e juventude.

Para saber mais

Canário, Maria Beatriz. Construir o projecto educativo local: Relato de uma experiência. In. Cadernos de Organização e Gestão Curricular. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 1998. Disponível para download.

Cordeiro, A. M. Rochette; Alcoforado, Luís e Ferreira, António Gomes. Projeto Educativo Local. Um processo associado a estratégias de desenvolvimento integrado e sustentável. In. Cadernos de Geografia, nº 30/31. Coimbra: FLUC, 2011/12, pp. 305-315. Disponível para download.

Comunidade discute construção do Plano Educativo Local –  reportagem publicada no Bairro Escola Rio Vermelho, 14 de outubro de 2014.

Quais pontos são fundamentais na elaboração de um plano de educação? – reportagem publicada no Centro de Referências em Educação Integral, 17 de dezembro de 2014.

Soluções e estratégias para a escola e o bairro – reportagem publicada no Bairro Escola Rio Vermelho, 28 de outubro de 2014.

“É preciso fomentar o protagonismo do jovem” – reportagem publicada no Bairro Escola Rio Vermelho, 3 de junho de 2013.