Secretarias de Educação e da Mulher de PE trabalham a questão de gênero em escolas

Publicado dia 25/11/2013

Iniciativa: Núcleos de Estudos de Gênero e Enfrentamento da Violência Contra a Mulher

Pública ou Privada: Pública

Há 53 anos, as irmãs Patria Mercedes Mirabal, Minerva Argentina Mirabal e Antonia María Teresa Mirabal eram torturadas e assassinadas na República Dominicana por fazerem parte do movimento “Las Mariposas”, que lutava contra a ditadura de Trujillo. Em homenagem às irmãs combatentes, em 1981, o 25 de novembro foi instituído como o Dia Mundial de Combate à Violência Contra a Mulher. Mas foi em 1999 que a Assembleia Geral da ONU anunciou esta data como o “Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra a Mulher”, fomentando o debate entre governos e sociedade civil para eliminar o problema, que ainda ronda a vida de meninas e mulheres em todo o mundo.

Uma semana em rosa e lilás/ Créditos: Divulgação Secretaria Estadual da Educação

Uma semana em rosa e lilás/ Créditos: Divulgação Secretaria Estadual da Educação

Com o objetivo de trazer a questão à tona já na adolescência, durante dois anos as escolas públicas de ensino médio de Pernambuco participaram do Prêmio Naíde Teodósio de Estudos de Gênero – que tem como objetivo estimular a produção de conhecimentos sobre as relações de gênero a partir de artigos científicos, relatos ou projetos de experiência pedagógica.

Após dois anos de realização do prêmio, as secretarias estaduais da Mulher e da Educação de PE notaram que era preciso ampliar as ações que tratavam do tema dentro de escolas e instituições universitárias, já que havia apenas um núcleo de estudos sobre gênero da Universidade Federal de Pernambuco ( FAGES) e ações pontuais nas escolas no Dia Internacional da Mulher (8 de março).

Desse modo, nasce em 2012 os Núcleos de Estudos de Gênero e Enfrentamento da Violência Contra a Mulher. Criado a partir de um convênio com a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) do Governo Federal, em parceria com as secretarias estaduais de educação e da mulher de PE, atualmente está presente em presentes em 28 escolas de ensino médio do município de Recife (PE) e 26 Institutos de Ensino Superior.

De acordo com a assessoria de imprensa da SecMulher de PE, o objetivo é desenvolver iniciativas que garantam a inserção das questões de gênero nos espaços da educação formal, contribuindo para uma mudança de paradigmas nas relações sociais, econômicas e de poder entre homens e mulheres, culturalmente impregnadas no sistema educacional pela falsa ideia de superioridade masculina.

Para a criação dos núcleos, a Secretaria da Mulher fez um mapeamento das instituições por região e municípios que já obtinham organismos municipais de políticas para mulheres, assim como escolas e faculdades que já haviam participado do Prêmio Naíde Teodósio de Estudos de Gênero.

Após a seleção, foram realizadas visitas às das instituições de ensino, participação dos docentes nas oficinas e seminários de formação promovidos pela Secretaria da Mulher e, por fim, apoio da pasta na elaboração de projetos e planos de trabalho para toda a comunidade escolar.

Dados

Pernambuco ocupa a 10ª posição no ranking nacional de violência contra a mulher, com a taxa de 5,5 homicídios femininos por 100 mil mulheres. Entre as capitais, Recife ocupa a 6ª posição com taxa de 7,6. Os dados fazem parte do relatório  final da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investigou a violência contra a mulher no Brasil.

Veja aqui o relatório.

Nas escolas, uma das principais propostas com o projeto, é trabalhar diferentes temas que dialoguem com o cotidiano dos adolescentes, conscientizando e  orientando como agir caso passem por eventuais situações que envolvam a questão.

Durante o ano de 2013, os coordenadores de cada núcleo escolar receberam formação da Secretaria da Mulher, que também fica à disposição para assessorar as atividades dentro das escolas, seja com materiais didáticos sobre o tema ou realizando atividades formativas no ambiente escolar.

Juntando forças

Em 2012, na escola Escola de Referência em Ensino Médio (EREM) Trajano de Mendonça foi criado o Núcleo de Estudos de Gênero Margarida Maria Alves, no qual estudantes e professores discutem, pelo menos uma vez por mês, assuntos como a promoção da igualdade de gêneros e violência doméstica e contra a mulher.

Uma semana em rosa e lilás/ Créditos: Divulgação Secretaria Estadual de Educação

Uma semana em rosa e lilás/ Créditos: Divulgação Secretaria Estadual de Educação

A escola já realizava, desde 2010, atividade para sensibilizar os estudantes sobre a desigualdade de gênero, chamada de “Uma semana em rosa e lilás“, ocorrida todos os anos na primeira semana de março, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher.

Nesse dia, é pedido a todos os estudantes que se vistam de rosa e/ou lilás, mostrando principalmente aos meninos que as cores não influenciam no gênero de cada um. Além da atividade, a escola promove também pesquisas e oficinas desenvolvidas pelos próprios estudantes, que apresentam o resultado dos estudos aos colegas.

Principais Resultados

De acordo com a Secretaria da Mulher de PE, além da implantação de 52 núcleos de estudo de gênero, foi possível inserir em 700 escolas estaduais de PE a campanha “Maria da Penha vai à Escola” em 700 Escolas estaduais. Após a criação dos núcleos, houve um aumento significativo na participação das escolas no Prêmio Naíde Teodósio de Estudos de Gênero, resultado do papel de multiplicadores pelas Instituições de Ensino a favor da igualdade de gênero.

Outro resultado bastante positivo foi a inclusão  do conteúdo de gênero na grade curricular das escolas e ampliação da produção de estudos, pesquisas e extensão voltadas à temática de gênero.

Para uma das professoras e coordenadora do núcleo da EREM Trajano de Mendonça,  Rosário Leite, o projeto é uma oportunidade de continuar o processo de formação dos professores, já que a maioria das universidades de pedagogia não prepara os profissionais para trabalhar e orientar os estudantes sobre o tema.

Além disso, a possibilidade de trazer novos profissionais de áreas que discutem a questão de gênero, colabora com o debate em sala de aula e enriquece a discussão entre os estudantes, já que muitos dos alunos presenciam isso em suas regiões ou até mesmo em casa.

De acordo com a professora, após a formação no tema, alguns estudantes e mães passaram a procurar a escola para pedir orientações, já que estavam passando por situações de violência contra a mulher.

“O papel da escola é o de informar, conscientizar e quebrar o paradigma de que a mulher é propriedade do homem. É na escola que estão os novos rapazes, os quais precisam entender desde já a questão de gênero”, aponta Rosário.

Início e duração: de 2012 até os dias atuais.
Local: Pernambuco
Responsáveis: Secretaria da Mulher e a Secretaria de Educação Estaduais de Pernambuco.
Envolvidos e parceiros: Escolas Referência de Ensino Médio (EREMs) de Pernambuco
Financiamento: Secretarias de Educação e da Mulher.

Contatos
Secretaria da Mulher
Site: http://www2.secmulher.pe.gov.br/web/secretaria-da-mulher
Fone: (81)3183.2950 / 3183.2953

Escola de Referência em Ensino Médio (EREM) Trajano de Mendonça
Blog: http://eremptm.com/
Fone: (81) 3181-3064

Confira sete estratégias para debater gênero na sala de aula