Escola pública em Londres ensina oratória ao lado de matemática e alfabetização

Publicado dia 09/02/2018

Em diversos países, é comum perceber como as escolas focam praticamente todos seus esforços na alfabetização e matemática de seus alunos, muito por conta do consenso em torno da importância dessas habilidades, mas também por serem estas as competências testadas nas avaliações.

Texto originalmente publicado pelo Portal MindShift, da rede de parceiros de conteúdo do Centro de Referências.

No entanto, a maioria das pessoas também precisa comunicar seus pensamentos e ideias para outras pessoas por meio da linguagem oral e, apesar disso, estratégias efetivas de comunicação não são ensinadas com a mesma precisão e estrutura que outras partes do currículo.

A arte de argumentar

Na contramão desta tendência, uma escola pública em Londres, a School 21, fez da oratória um de seus principais focos. Desde as primeiras séries, os professores apoiam os alunos para que eles encontrem sua voz, expressem opiniões diferentes e desafiem uns aos outros com argumentos.

Essas são habilidades exigidas no Common Core (espécie de Base Nacional Comum Curricular inglesa), mas difíceis de encontrar em muitas salas de aula, já que os alunos não recebem orientação para tal.

Outro elemento-chave do programa da School 21 é o bem-estar. Parte do currículo é voltada para a aprendizagem emocional-social.

Falar faz parte de quase todas as aulas e pode ser fácil presumir que os alunos já são capazes de desafiar uma ideia ou argumentar com base em evidências.

Assim, ao longo das experiências vivenciadas pelos estudantes na escola, as habilidades de comunicação que os professores ajudaram a promover tornam-se extremamente importantes para lidar com temas complexos como raça, diferenças, diversidade e solidariedade.

A escola também tenta ajudar os alunos a ver o progresso que eles fizeram, oferecendo momentos nos quais podem mostrar suas habilidades de falar em público.

Como a comunicação oral é um princípio básico da School 21, os alunos continuam a desenvolver esta habilidades ao longo da trajetória escolar até o ponto onde argumentar e defender pontos de vista com pesquisa se tornam naturais.

O poder do discurso

Falar faz parte de quase todas as aulas e pode ser fácil presumir equivocadamente que os alunos já são capazes de desafiar uma ideia ou argumentar com base em evidências. Na realidade, essas habilidades de comunicação oral devem ser explicitamente ensinadas como outras habilidades básicas na escola.

E um jovem eloquente e confiante terá ocasião de usar essas habilidades de comunicação ao longo de sua vida. Peter Hyman, cofundador e professor da School 21, resume: “Precisamos promover o discurso para o mesmo nível da leitura e da escrita”.

* Tradução de Thais Paiva