Escola de Maceió inicia experiência de Ensino Médio em tempo integral

Publicado dia 28/03/2016

Escola é a primeira a operacionalizar o Programa Alagoano de Educação Integral.

Escola é a primeira a operacionalizar o Programa Alagoano de Educação Integral.

A Escola Estadual de Ensino Integral Marcos Antônio Cavalcanti Silva completou um ano no último dia 16 de março. A unidade foi criada para operacionalizar, como projeto piloto, o Programa Alagoano de Educação Integral, que deve ser estendido em breve a outras instituições que também terão aula em tempo integral.

A proposta é ofertar Ensino Médio em tempo integral integrado à educação profissional. O modelo, que ainda está sendo bastante discutido, buscando acompanhar as demandas da juventude, como a iniciação no mercado de trabalho, foi bem recebido, segundo o coordenador pedagógico Jeorge Venâncio Santos de Lima. “A escola já foi concebida para essa modalidade, ou seja, as inscrições já vieram dentro desse contexto do tempo escolar ampliado”, observa.

Os 400 estudantes chegam à escola às 7h e saem às 17h50, tendo dois intervalos de 20 minutos, e mais uma hora para o almoço. No período, além da oferta das disciplinas da base comum – são 13 ao todo – há mais quatro aulas semanais dedicadas a um dos três eixos da educação profissional: Turismo, Análises Químicas ou Informática. A escolha desses cursos, segundo Jeorge, partiu de uma pesquisa de mercado feita pela escola junto à comunidade, de modo a reconhecer as áreas que poderiam gerar mais oportunidades para os estudantes no futuro.

e3Além disso, há a parte curricular diversificada em que são contemplados os estudos orientados e oficinas: Música, Matemática, Leitura, Introdução a Projetos Universitários (para o 3º ano) e Projetos Integradores – tratam-se de intervenções que os alunos podem fazer no território, em parceria com a comunidade, diante de demandas locais.

Articulação pedagógica

Para Jeorge, um dos principais ganhos da proposta é o tempo de articulação pedagógica, segundo ele, mais bem aproveitado do que em outras instituições de tempo parcial que já trabalhou. “A carga horária docente de 40 horas semanais é dividida da seguinte forma: 22 horas com atividades de docência; 5 horas com o orientador de turma ou com as atividades da parte diversificada do currículo; mais 8 horas semanais distribuídas entre: articulação geral com todos docentes (2 horas), articulação por área (2 horas), articulação individual com a coordenação pedagógica (2 horas) e planejamento das aulas (2 horas), com um total de 35 horas semanais de trabalho na escola”, contabiliza o gestor.

Os docentes nem sempre atuam na área diversificada. Quando os conhecimentos são bastante específicos, há a contratação pelo estado de um profissional que atenda à demanda.

Participação e resultados

Para o coordenador pedagógico, é fundamental que a escola, ainda nova em seu percurso, se abra ao diálogo com os demais atores. Por isso, mantém quinzenalmente um conselho escolar em que familiares, alunos, professores e funcionários se reúnem para colocar suas propostas. Há também os conselhos de classe, compostos por professores, coordenadores pedagógicos e dois líderes por turma, para que os estudantes também possam ajudar a pensar o espaço educativo e um melhor desenvolvimento para as salas de aula.

LÍDERES DE TURMA

Escola conta com a participação de 22 estudantes, dois por turma, na representação dos Conselhos de Classe.

Jeorge diz que a escola está indo na contramão dos indicadores do estado e comemora o índice de 77% de aprovação de seus alunos, além da taxa de 6% de evasão e 8% de transferência que, segundo ele, foram motivadas por questões de ordem pessoal das famílias, como mudança de localidade. “Pra nós que acabamos de começar, isso é uma vitória”, finaliza.

Contato:

Escola Estadual de Ensino Integral Marcos Antônio Cavalcanti Silva
Telefone: (82) 3315-4776
escolamarcosantoniocefe.al@gmail.com