Do encontro de gerações entre crianças e idosos, ensinamentos para a vida

Publicado dia 22/07/2015

O que acontece quando se permite a convivência entre crianças e idosos? Em Seattle, duas instituições vêm descobrindo essas respostas na prática. A partir de uma parceria com a casa de repouso Providence Mount St. Vicent, a pré-escola Intergerational Learning Center permite a interação entre as faixas etárias como estratégia de desenvolvimento para a infância.

creche-casa-de-repouso-1

Créditos: Reprodução

Cinco dias por semana, as crianças participam de ações conjuntas com cerca de 400 idosos. A convivência contempla desde visitas, quanto a participação em atividades de dança, música, contação de histórias e almoços coletivos. A intencionalidade pedagógica desses momentos se reforça, cada vez mais, pelos benefícios desfrutados por ambas as gerações.

Aprendizagens mútuas

intergeracionalAs construções de significado se dão em vias de mão dupla. Por um lado, as crianças estão em constante aprendizado sobre o processo natural de envelhecimento, já que convivem com indivíduos de até duas gerações mais antigas. Isso as faz compreender com mais facilidade as possíveis deficiências e dificuldades dessa etapa da vida e as estimulam a criar laços afetivos mais sólidos com esses indivíduos.

Os idosos, por sua vez, acabam se beneficiando fisicamente, já que as interações os convidam ao movimento; no campo psicológico, as vivências possibilitam a troca de conhecimento e, assim, estimula os idosos a resgatar memórias e histórias que constituem suas identidades.

Aprendizagem em diálogo com a vida

A conduta com as crianças se ancora em um currículo pautado pela resolução de problemas. Diariamente, elas são encorajadas a pensar soluções para questões corriqueiras. Nesse contexto, os professores atuam como facilitadores ou guias desses percursos educativos. Entende-se que, a partir disso, as relações estabelecidas entre professor aluno deixam de ser permissivas ou autoritárias.

O estímulo à postura autônoma também faz com que as crianças desenvolvam um senso de responsabilidade e consigam atuar de maneira mais criativa com o apoio de recursos ou rede de relacionamento que tenham ao alcance.

Outras vivências

Tudo isso integra um projeto político pedagógico direcionado à vivência com a comunidade, o que acaba por orientar atividades para além do espaço escolar. Entende-se que, em contato com outras pessoas, as crianças são capazes de adquirir habilidades que complementam o seu desenvolvimento integral. Por isso, são recorrentes os momentos em que as crianças se envolvem em tarefas de arte, dança, música ou tarefas na cozinha.

A escola entende o currículo a partir das necessidades e interesses da infância, além de se dar em diálogo também com professores e moradores da comunidade. Nesse sentido, também são comuns a incursão por outros espaços do território, configurando pesquisas de campo recorrentes.

Registro

As experiências das crianças com os idosos acabaram dando origem a um documentário dirigido por Even Briggs. A obra recebeu o nome de Present Perfect (Presente Perfeito) e tem como fio condutor as possibilidades de desenvolvimento para ambas as gerações.


Present Perfect: a documentary by Evan Briggs from Mezzanine Media on Vimeo.

Contato:

Intergenerational Learning Center
3386 Pilot Knob Rd
Eagan, MN 55121
(651) 456-9101

Escola

Aproximação das famílias aumentou autoestima dos estudantes e melhorou indisciplina