A cidade de Lokossa, em Benim, resgata memória por meio de jogos tradicionais

Publicado dia 07/04/2014

Iniciativa: Adji e : jogos que formam para a vida

Pública ou Privada: Pública

Com cerca de 78 mil habitantes, Lokossa é uma das mais populosas cidades do país africano Benim e assim como outros territórios do continente, telefones celulares, aparelhos de rádio e televisores se popularizaram fortemente na cultura cotidiana das pessoas. Mesmo com crescente acesso aos meios tecnológicos, o poder municipal entendeu que, para manter acesa as tradições e memória local era importante fomentar a prática de jogos antigos, como o Adjí e , realizados em espaços públicos como praças ou em campos abertos, debaixo de árvores.

Leia mais: O potencial educativo das brincadeiras

O intuito é promover o diálogo intercultural e de gerações, contribuindo, assim, para o resgate de valores do povo de Lokossa. A atividade estimula ainda uma vida saudável, por meio dos esportes e a importância de se ocupar um espaço público com a oportunidade de transmitir diversos saberes acerca da história do país. Durante as partidas, as diferenças de idade ou origem são logo rompidas, tornando a atividade um verdadeiro exercício de cidadania mesclado à diversão.

Moradores de Lokossa jogam adjí.

Moradores de Lokossa jogam adjí. Foto: Reprodução

O jogo adjí 

Considerado um jogo de tabuleiro, parecido com o mancala [jogo da semeadura] no Brasil, o adjí acontece em uma mesa retangular. Em cada um de seus lados é formada uma fileira de 12 furos. Cada jogador tem direito a seis desses buracos e a quatro sementes para depositar nos espaços. O jogo consiste em ganhar os buracos do adversário. Por exigir concentração e rápido raciocínio, a competição é tida como uma oportunidade de colocar em prática diversas expressões matemáticas, fazendo com que crianças e adolescentes aprendam brincando.

O jogo

Já o “vê” lembra muito a bocha e é um exercício que mede a habilidade física do participante. O jogo é organizado em campos opostos paralelos que ficam distantes até seis metros, a depender da idade de cada jogador. De cada lado há um mesmo número de bolas, divididas por 15 centímetros. Ganha quem consegue acertar de maneira mais rápida as bolas do outro jogador. Neste jogo, é preciso equilíbrio e ânimo. As duas atividades pedem concentração, objetividade e valores como respeito ao próximo e humildade.

Moradores de Lokossa jogam o Vê/Créditos: AICE

Moradores de Lokossa jogam o Vê.  Foto: Reprodução

Os maiores ganhos dos jogos tradicionais

Enquanto crianças, jovens ou até mesmo idosos participam , os mais velhos narram histórias sobre as partidas que já venceram, voltando-se, assim, à memória da própria cidade.

O diálogo intercultural e intergeracional, ajuda a sensibilizar os cidadãos de Lokossa a resgatar e manter aceso os valores patrimoniais do lugar.

Leia mais: Como utilizar o potencial educativo das praças?

O jogo vai ao encontro com a lei nacional de Benin (97-029), de 1999, que preconiza à administração local de cada cidade o dever de fomentar as atividades culturais, esportivas, da juventude, garantindo-se o suporte material e financeiro das estruturas e dos órgãos encarregados dessas atividades, assim como do patrimônio cultural de cada cidade.

O governo municipal de Lokossa vem seguindo tão à linha a recomendação posta em lei, que, desde 2009, o dia 13 de fevereiro é considerado o Dia dos Jogos Tradicionais de Lokossa, estimulando competições entre os bairros locais e apresentações de arte e mostras culturais pelas comunidades.  Além disso, com o apoio da prefeitura, foram criados clubes comunitários pelos bairros para a prática dos jogos.

Início e duração: as ações de promoção começaram à época da lei nacional e o dia dos esportes tradicionais ocorre desde 2009
Local: Lokossa, Benin, localizado no continente africano
Responsáveis: Prefeitura de Lokossa
Financiamento: Poder municipal de Lokossa

Principais Resultados

Observando que muitas vezes os jovens e os idosos não se relacionavam e montavam “times” separados, a prefeitura pôs em marcha um programa de sensibilização que acompanha todo o processo, estimulando que os jogos sejam o ponto de partida para o diálogo, convivência no coletivo e trocas de conhecimento.

Com o esforço comunitário, em 2009, Lokossa ficou em 2º lugar em “” nos Jogos Nacionais, dado o incentivo que vem sendo realizado. Outros pontos a se destacar é na educação dos jovens, que, com a prática dos jogos, vivenciam uma formação que os prepara para a vida em cidadania.

O dias dos jogos reúne representantes de cidades e até países vizinhos, estimulando o intercâmbio cultural e a valorização das características e tradições de Lokossa. A partir da atividade, a prefeitura estimula que os participantes e convidados, em reuniões paralelas, discutam acordos de cooperação e troca de saberes.

A partir dos jogos, pessoas de diferentes idades, religiões e culturas têm se aproximado de forma crescente.  Resultado disso é que jovens e  idosos se uniram para participar do Dia para um Ambiente Saudável, também realizado pela prefeitura todos os primeiros sábados de cada mês. Os integrantes atuam como agentes do desenvolvimento local, sistematizando reclamações e sugestões para o Conselho da Cidade.

Materiais
Publicação Cidade, Esporte e Educação, da Associação Internacional das Cidades Educadores, nas páginas 53 e 54.

Contato
Site: Prefeitura de Lokossa

E-mail: mairielokossa@yahoo.fr

Telefone: +229 22411273

As informações são da Associação Internacional de Cidades Educadoras (AICE) e da Prefeitura de Lokossa.

No Pantanal, escolas se adaptam ao regime das cheias e valorizam cultura local